Noriko's Dinner Table (2005)

Coluna: Machadadas
Autor: Ribas Machado



Resumo


Noriko Shimabara é uma garota normal de 17 anos, cuja família é composta por sua irmã mais nova Yuka, seu pai Tetsuzo, e sua mãe Taeko. Noriko não podia deixar de se sentir insatisfeita com sua vida suburbana sem graça. Um dia, ela descobre um fórum na internet onde adolescentes de todo o Japão se reúnem. Lá, Noriko, pela primeira vez em sua vida, sente que está sendo aceita e compreendida pelos outros. Noriko, então, foge de casa para procurar seus amigos em Tóquio.



Lá chegando, ela conhece a figura central por trás do site que usava o nickname de "Ueno54"  que se apresenta com o nome de Kumiko. Junto, e por causa de Kumiko, Noriko torna-se membro do estranho "Círculo de família", um grupo que oferece o serviço famílias de aluguel. No "Círculo de família", os membros são enviados para  pessoas solitárias e, com elas, por um tempo definido, conforme o negociado, passam a representar o papel de filhos, netos, esposas, maridos..


Yuka, também foge de casa se juntando a Noriko o que acaba desencadeando o suicídio de sua mãe e o início de uma uma busca (por elas) desesperada da parte de seu pai, daí em diante somos jogados, durante 5 capítulos e mais de duas horas e meia de filme, para dentro do dia a dia da relação entre as 3 meninas e tudo que acontece ao redor...


Curiosidades

  • Mitsuko, o nome que Noriko assume, é o nome de um dos principais personagens do primeiro filme (Suicide Circle);
  • O cartaz no quarto das meninas é da banda Desert (banda pop, de ficção, que intermediava as cenas de Suicide Circle). O cartaz anuncia a canção "Write Once", que foi a canção que a banda Desert tocou nos créditos finais do filme;
  • Os eventos que acontecem neste filme tem lugar antes, durante e após os acontecimentos ocorridos em de Suicide Circle (2001), e buscam (na minha opinião sem sucesso) ajudar a mostrar os bastidores de tudo o que aconteceu naquele filme;
  • Segundo consta, este foi o segundo filme da trilogia planejada pelo escritor/diretor.

Impressões


Um filme chato e longo que, embora cite acontecimentos do "primeiro" filme (Suicide Circle), está longe de ser uma continuação, até pq, mais confunde do que explica os acontecimentos suicidas. O mais justo seria dizer que é um filme que faz uma referência, uma homenagem, uma citação ao anterior mas, nunca, uma continuação e (ou) um filme que veio explicar algo... Só aí já se coloca como propaganda enganosa e destrói qualquer expectativa que levou o espectador a aguentar o papo cansativo e contínuo jogado por duas horas e meia bem enfadonhas.


Para não dizer que não tem nenhuma ligação com o "primeiro" filme, este, possui algumas cenas copiadas e coladas aqui e, tal e qual ocorre lá, também temos mais uma propaganda enganosa, qual seja, a oferta nos trailers, nas propagandas e nas sinopses de uma super trama que, na prática/realidade, se mostra bastante rasa e, como sempre ocorre com filmes/diretores cultuados, faz/abre (muito) espaço para que os fãs (abarrotados de expectativas) saiam do filme misturando realidade (o filme) com ficção (suas expectativas) e, por consolo psicológico, acabem criando em suas mentes um filme que não existiu. Tomem cuidado com estes delírios, tomem cuidado com uma supervalorização destes dois filmes "sequenciais", ou não reclamem (nem tentem se matar de tédio) depois...


Vale citar também um ponto interessante/curioso a respeito da cultura oriental ou, seria melhor dizer,  do dia a dia no Japão atual, qual seja, esta mania, esta necessidade de relações humanas de aluguel. Tá, ok, confesso que não pesquisei a fundo pra saber se existe este lance de famílias de aluguel (e também não vou pesquisar, pois estou com preguiça) mas, seja como for, é fato que o autor que pensou nisso é japonês, é fato que no Japão o filme fez muito sucesso (vai entender...) e é fato (este comprovado e pesquisado) que por lá (Japão) existem (alguns) "Maid Cafés" onde os clientes podem pagar para uma das Maids ("garçonetes") cantar com eles, sentar na mesa com eles e até dar uma volta a pé pelo bairro. Se isto não bastasse é sabido e conhecido a paixão que (muitos) orientais tem por prostitutas... Enfim, isto, esta cutucada, esta "colocada para pensar", faz o filme valer (um pouco) a pena...


Ficha técnica

  • Direção - Sion Sono
  • Produção - Takeshi Suzuki
  • Roteiro - Sion Sono
  • Musica - Tomoki Hasegawa
  • Distribuição - Eleven Arts     
  • Estreia - 04 julho de 2005 no "Karlovy Vary International Film Festival"
  • Duração - 159 minutes
  • Idioma - Japones
  • Elenco -
          Kazue Fukiishi - Noriko Shimabara/Mitsuko
          Ken Mitsuishi - Tetsuzo Shimabara
          Yuriko Yoshitaka - Yuka Shimabara/Yôko
          Tsugumi - Kumiko/Ueno54
          Sanae Miyata - Taeko Shimabara
          Shirô Namiki - Ikeda
          Yôko Mitsuya - Tangerine
          Tamae Andô - Broken Dam
          Chihiro Abe - Long Neck
          Hanako Onuki - Midnight
          Naoko Watanabe - Cripple
          Usamaru Furuya - Homem no café


Até a próxima!



























Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário