07 de Setembro (negro) de 2013 (Ainda NÃO firmei opinião a respeito, até hoje, boa sorte)

 Texto e Imagens: Ribas Machado


Definitivamente todas as manifestações iniciadas em junho de 2013 (Revolta do Vinagre) foram influenciadas e tomaram as dimensões que conhecemos, graças a todo clima, a toda egrégora mundialmente construída neste sentido, pré junho de 2013... Esta é uma tese que defendo e em breve farei uma matéria a respeito. Senão, vejamos...
  • O MPL já existia há vários anos antes de 2013 e, todo ano, se manifestava contra o aumento das passagens mas, em 2013 foi como foi...
  • Ocupações já existiam desde antes do Ocupa Sampa de 2011 (em breve farei um post a respeito), mas em 2013 foi como foi (também farei um post a respeito das ocupações de Sampa, no futuro)...
  • Coberturas online também já existiam desde antes do Ocupa Sampa de 2011 e seu "espaço de mídia/transmissão online" que ficava no centro dos "círculos de segurança" feitos pelas barracas do acampamento que, por sua vez, ficava no vale do Anhangabaú, mas em 2013 foi como foi...
  • O Ativismo animal já existia desde antes de... Ah! Sei lá, faz muito tempo que vemos defensores dos animais por aí, eu mesmo já participava, com sucesso, da proteção de algumas raças (ditas) mais violentas há mais de uma década atrás, mas em 2013 foi como foi... (vide Instituto Royal - em breve matéria a respeito-)
  • E só pra citar mais um, de vários, cito o movimento anarquista/punks que desde antes da minha adolescência (faz tempo, acreditem hehehehe), no 7 de Setembro faziam alguma manifestação, ação direta, tentavam invadir o desfile militar... mas em 2013, bem, em 2013 foi assim...
Junho e Julho já tinham passado

Agosto já tinha passado

Muita gente já tinha deixado de pintar as bochechinhas de verde amarelo...

Muita gente, embora ainda berrasse "SEM BANDEIRAS", também, não queria mais saber de carregar a bandeira do Brasil...

Muita gente já tinha tido contato com a repressão policial, na época (só na época?? Não sei...) atrapalhada, quase amadora, descoordenada e violenta...

Ninguém mais mandava os "manifestantes do bem" sentarem para que a polícia pudesse localizar os "vândalos"...

Ninguém mais estava achando graça de aparecer, e dar tchau pra família, nos veículos de mídia tradicional...

Setembro chegou 

aí... 

"Na rua" e no mundo virtual era fácil encontrar/trombar com mensagens e chamados para uma manifestação atípica... Atípica (como tudo que ocorreu no segundo semestre de 2013) pois a ideia não era exatamente se manifestar mas, sim, confrontar/reprimir a repressão...

Como tudo neste período, nada estava claro, nada estava orquestrado, organizado, comandado mas...

A onda estava fluindo, a bola de neve ia rolando e aumentando até que chegou o 7 de Setembro e o povo foi pra rua...

Se encontraram no Masp e foram se juntando e criando blocos...

Nunca, até então, o "Black Bloc" foi tão bem representado como nesta manifestação (e quando eu digo isso, me refiro a origem clássica do nome desta tática, em Gênova, advinda das pessoas que olhavam a massa andando e dentro dela -massa- viam uma mancha um bloco negro) senão vejam a foto abaixo, que na verdade é um print que fiz de um vídeo apócrifo -até pq eu ainda não estava por lá quando a massa andou.


Como eu disse acima, eu ainda não estava por lá, neste dia e pelas mensagens que eram veiculadas (ou não), confesso que optei inicialmente por assistir de longe, pelas diversas "lives" dos (na época, ainda auto nomeados de) "ninjas"

Enquanto assistia, fui tomando conhecimento de muitos conhecidos e conhecidas que já estavam por lá ou que estavam indo... A curiosidade aumentou e resolvi ir ver de perto mais este ato...(Eh mania..)

Enquanto eu saia de casa a massa começou a andar em direção à Av. Brigadeiro L. Antonio... (as fotos P&B não são minhas, até pq eu não estava lá...)


 Os helicópteros já estavam presentes...


A preocupação/ansiedade, também...


Olhem uma camiseta batuta!!!
A foto não é minha (lembrem... fotos P&B não são minhas!! Ok!!??) mas segue o prêmio de melhor camiseta do ato para...


Este outro, abaixo, também estava com uma camiseta batuta de um filme/série de filmes que eu gostei muito e que traz um nome quase que premonitório...


Mas voltando à massa, ela passou pela Brigadeiro e ganhou a 23 de maio pelo Viaduto Paraíso...


Nessa hora eu já estava perto da Paulista e iniciava toda uma busca divertida, seguindo os helicópteros, entrando e saindo (sem pagar -só no papo... Calma não pulei nenhuma catraca-) das estações de Metro



Enquanto a massa se afastava e toca eu voltar pro Metro e tentar outra estação...


Obs:
As duas fotos abaixo não são minhas (eu que fiz o print, mas não são minhas) porém estão coloridas pq na primeira eu quis mostrar a bandeira e, na segunda, eu vi um cara que respeito muito, o Piauí e, portanto, tb deixei as cores pra que vocês também possam localizá-lo...



Mas voltando à minha caça a manifestação seguindo os tijolos amar... Ops!! Seguindo os Helicópteros da PM...


Fui seguindo, entrando e saindo dos METROS, ligando para as "SILVAS" (que estavam de base para a extinta MidiaNinjaSP) que haviam me cedido o celular...


Até que consegui chegar na frente deles...

Olhem eu lá em cima do viaduto!!! hehhehe


A massa foi vindo...

Acompanhadas "deles"...


Foi subindo ao meu encontro...


Subindo... (finalmente)
Detalhe pro cordão policial subindo/chegando junto


Até que...


Apareceu!!!! (não necessária e somente o helicóptero, mas...)


Olha (todos -black e coloridos-) eles aí...




Tudo ainda pacífico (como um certo jornal costumava dizer do começo das manifestações...zzzzzz)



Fui avançando com eles (pela "Maria Paula")


Eles começaram a avançar mais rápido...


Quando a Câmara então começou a aparecer... (E eu fui parando e me posicionando, pois o clima não estava legal e, eu, estava só com meu primeiro uniforme -sim, tem um segundo- só com minha camisa branca, jeans e meu velho all star... Ou seja, sem capacete, sem máscara, sem óculos...


Lembram que as fotos P&B são prints que fiz de vídeos né?? Ok!!

Pois bem, a massa chegou na Câmara...


As pedras chegaram nos vidros...


Não tardou até que as bombas começassem a chegar...


Lembram do cordão de isolamento que estava subindo a 23 de maio? Olha ele também chegando rápido aí...



Quando todo mundo chegou, inclusive as bombas e as pedras, quem tinha chegado, resolveu dar meia volta...


E volta e meia

Enquanto mais gente que não tinha chegado, foi chegando...



Quem tinha dado meia volta, virou de novo...

Reagrupou e voltou...



Os PMs, que tb tinham corrido, desembestados, voltaram...

Chegando
Ganhando massa...
Forma...


E mais confronto...
Inclusive com barricadas...


Chega, sai, vai volta, pedra, bomba, agrupa, desagrupa...
Cheiros, sons, pedras voando e (ainda bem que, em mim, nenhum) machucados...
Até que resolvo olhar pra trás e...

Por lá, tudo tranquilo...
Se bem que... Ops!!!
Olhando melhor, vem vindo uma parede fardada...


E eles vem chegando...

Se posicionando...





E meio que forçam uma caminho de saída, que é aproveitado...


Aí tudo vai se acalmando (NAQUELA região...)


Eu também vou achando minha melhor saída...


Enquanto alguns ainda "estão vendo" o que JÁ ocorreu...


Outros (olha o Piauí aí de novo) estão recolhendo estilhaços e restos de bombas...


A PM vai indo pra outro lugar...



Os Mídias tb...


Dou uma última geral na área de guerra (como um dos PMs gritou...)


Vejo uma das últimas "fogueiras de resistência" (DESTA batalha) ao fundo...


E então resolvo levantar acampamento e seguir em direção à...


Fogueira...


E do último foco de resistência (que já estava apagando sozinho), movido pelas informações obtidas no caminho, sigo pra Sé...

Aí já estava sem bateria, portanto usarei das letras e dos vídeos abaixo pra contar...

Chego na Sé um pouco antes do início do vídeo abaixo...

Presenciei o rapaz machucado se machucar, presenciei a cena da tentativa de parar a viatura...

Fui ver o rapaz que passeou fora da viatura...

Apareci no vídeo (abaixo) e...

Quando o choque já estava se posicionando fui encontrando alguns conhecidos, dentre eles a "Professorinha" (que fez um vídeo clássico do final da manifestação, vídeo este que procurei, não achei mas como eu o tinha baixado na época -sorte, pois nunca mais vi essa guria- resolvi subir aqui no canal do blog e o coloquei aqui, mais abaixo...) e, juntos, fomos pra Av. Paulista (local onde, segundo a "rádio manifestante" heheheh, a massa estava se reagrupando).

Eu estava morto (a idade pesa nessas horas heheheh) mas como, também, por sorte, a "Professorinha" consegue (quando quer) ser mais fofa e convincente que um unicórnio bebe, ela conseguiu uma "carona" até a Paulista em um ônibus para nós 4 (que tínhamos nos encontrado e resolvido sair da Sé -outros quiseram continuar por lá vendo o que o Choque ia fazer-)


Propositalmente escrevo após o vídeo acima (que foi uma edição que fiz de partes de dois outros vídeos que estavam,  por sua vez, misturados em outras edições da época, que achei no youtube) até pra contar que chegamos na Paulista antes dos acontecimentos trazidos pela segunda parte do vídeo...

Chegamos e fomos pro MASP, onde estavam os (e as) mídias, coletivos, manifestantes, feridos, outros conhecidos, gente perdida, gente sozinha, gente procurando gente, enfim...

Tava cheio...

Mas, como disse (eu disse??? Sei lá...), tinham outros conhecidos e o clima estava de sossego...

Conversamos bastante, ouvi várias passagens e experiências vividas por muita gente naquele dia e, então, achei que tudo estava "miando" (nunca errei tanto em um achismo), falei com quem tinha vindo comigo até lá, falei com quem encontrei no MASP, uns falaram com os outros e decidimos ir embora pra Brigadeiro e de lá pra nossas respectivas casas (ou pra onde cada um iria).

Nos juntamos e começamos a andar (na calçada do lado do MASP), andamos um pouco e lá na frente tinha uma parede fardada...

Olhamos pra trás e descobrimos (pelo menos eu descobri) que o monte de gente que tava no MASP, havia se "morfado" e, agora, marchava atrás de nós na forma de um BLOCO NEGRO...

Não querendo virar recheio desse sanduba indigesto e mantendo/criando um carinho pelo grupo que estava andando comigo (carinho este que a adrenalina e estes momentos fazem florescer) dei/forcei a ideia de atravessarmos a rua...

Infelizmente nem todos ouviram/seguiram ou quiseram seguir esta ideia... Mas eu atravessei com a "Unicórnia bebe" e mais alguns que vieram seguindo o tio hehehehe

Foi o tempo de chegar no meio da avenida, para o BLOCO NEGRO alcançar o ponto que estávamos e (acho) levar junto os que conosco não atravessaram...

Aí conseguimos chegar do outro lado e continuamos observando e avançando rumo a Brigadeiro, enquanto isso o bloco ia passando e avançando rumo a parede fardada...

Isso não ia dar boa coisa, como não deu e vocês devem ter visto na segunda parte do vídeo...

Nessa hora nós continuamos andando até a Alameda Campinas, onde paramos antes de atravessá-la, quando então os dois grupos se encontraram e deu todo o rolo que acabou vindo pro nosso lado da avenida...

Assisti muita coisa, ajudei algumas jovens assustadas (manifestantes e clientes da lanchonete) que haviam apanhado e fugido pulando a muretinha correndo em minha direção sem saber pra onde e pq...

Nunca vou esquecer de um "moicano", de coturno e roupas que moicanos usam, que dava dois de mim e saiu voando lá pela muretinha que separava a lanchonete da Al. Campinas aí me viu, veio tremendo na minha direção e soltou um: "Tio, me ajuda!!" Passado o susto eu disse o óbvio... Mandei ele sair correndo pela Al. Campinas abaixo e não olhar pra trás... Foi o que ele fez hehehehe

Aí o furacão foi acalmando e nós pudemos rodar pela região (lembrando que pra ir pra casa, tínhamos que passar por toda a confusão e, ainda não era boa ideia) quando então a "professorinha", que também saiu caminhando e sacando/filmando (literalmente) a situação, fez o vídeo abaixo que acaba um pouco depois de ela encontrar uma guria que estava indo embora conosco (pois ia entrar no trabalho -que perdeu- poucas horas depois), mas não conseguiu atravessar a tempo, "caiu no olho furacão" e quase ficou tetraplégica...


Nesses momentos do vídeo acima eu também estava "pegando imagens e situações" que ficarão guardadas comigo pra sempre... Alias, ainda acho que sem querer passo do lado dela e apareço no vídeo, ela, na época, acha que não era eu, mas eu ainda acho que é...

Busquei interagir, caminhar, conversar, acalmar quem estava tremendo e, inclusive foi o dia que conheci o GAPP, alias até hoje dou risada deles (sempre surge um momento engraçado em qualquer situação) pois das gurias que vieram/fugiram na minha direção (que citei acima) uma delas estava bem machucada (hematomas, ralada, sangrando...) e, eu, consegui levá-la, ela e um amigo dela (tremendo mais que ela, diga-se) e colocá-los em um estacionamento (na Campinas) que abriu o portão e depois de algum papo permitiu que eu os deixasse lá dentro... Aí lembrei que tinha visto uma zona separada onde um povo (em grande número) estava sendo socorrido por um povo uniformizado (no vídeo da Professorinha aparece esta região), fui lá, furei o bloqueio, cheguei no que parecia coordenar tudo e pedi um pouco de álcool, ele perguntou pra quê, eu expliquei, ele perguntou onde o casal estava, eu expliquei e ele aceitou vir comigo tratar da guria... Mas, antes, chamou mais três quase do tamanho dele (quase 2 metros bem mais de 100 quilos) pra acompanhá-lo junto daquele sujeito com cara de bobo (um bobo bonitinho, mas...) de camisa branca, 1,75 mts e all star hehhehe

Chegamos no estacionamento e o casal não estava mais lá, e aí vem a parte engraçada, pois de repente estávamos eu e os 4 gigantes, num estacionamento vazio, escuro... Eu tranquilo e os 4 com cara de pânico hehehheeh (Hoje sei, e na hora saquei, que eles acharam que era uma emboscada hehehehe)

Passado o momento de pânico (deles) subimos pela Campinas de volta pra Paulista e soubemos que a tinha uma guria conhecida nossa (deles tb, descobri na hora) largada atrás de uma banca na frente da lanchonete Puppy, fui lá mas ela já havia sido levada pro hospital...

Nisso encontrei a Professorinha (desesperada pelas cenas que gravou, principalmente, desta guria citada acima) e mais alguns outros, quando então finalmente saímos daquela área carregada de tanta coisa ruim...

Na volta, viemos (eu vim, e com certeza eles também) digerindo e pensando em todo aquele dia e, pra vocês verem um pouco mais de tudo, deixo um vídeo com edição interessante que achei no youtube...

Até uma próxima (mesmo que distante)


P.S1: Este post foi feito na madrugada do dia 26 de dezembro de 2014, e se deveu a um comichão que surgiu em mim quando na volta de uma  cobertura que fiz do ato "Fora PT" do dia 29 de novembro de 2014, acabei passando (também na volta pra casa) pelo Puppy, lembrei destes momentos traumáticos e fui olhar atrás da banca, pra ver se a homenagem feita (foto abaixo) dias depois ainda estava lá marcada...


E estava...


P.S2: Muita coisa triste e desnecessária aconteceu neste dia, principalmente no quesito ferimentos e, dentre estes, um acabou mexendo mais com todos que por lá passaram ou acompanharam de longe, qual seja, o do rapaz que acabou sofrendo a perda de um olho (muito provavelmente -não dou certeza pois não sei há quantas anda o processo-) por um estilhaço de bomba da PM, rapaz este muito boa gente, tranquilo, inteligente que nem estava "morfado", ao contrário, só estava se manifestando contra uma série de podridões, existentes nesta nossa republiqueta de bananas e, como a guria da banca, teve o azar de ser sugado pelo furacão... Sim, tem muitos vídeos do ocorrido pelo youtube, eu tenho alguns na minha coleção particular, mas não vou postá-los, linka-los, nem citarei o rapaz (pelo menos não antes do dia em que eu venha a reencontrá-lo e ouça dele que não tem problema...) Seja como for, mesmo não fazendo nada do que disse acima, não podia escrever sobre este dia sem "citá-lo".

P.S3: Como disse no título, ainda não tenho opinião formada sobre este dia, muitos foram pra este dia literalmente para um confronto e confronto nunca é algo batuta... Mas... Bom... Já disse até mais né??? OK!!




Share on Google Plus

About Um Mero Espectador

0 comentários:

Postar um comentário