[RELATO] Natal Sem Sangue (Revolução da Colher - Sampa)

Texto e Imagens: Ribas Machado


É, pois é, por fim, hoje (após uma pauta carregada, embora muito bacana, que teve a cobertura da "OP Mais Pão" e do "Ninguém merece ser Estupradx") também seguimos para a Av. Paulista onde tivemos o prazer de cobrir o...


Quem entrava na página do evento/facebook podia ler:

"Nesse próximo sábado, dia 20 de Dezembro, estaremos na Avenida Paulista em frente ao Center 3 a partir das 17hs para a intervenção de Natal!
O intuito é levar consciência através da arte, da conversa e da boa comida ;)

Estão todos convidados a ajudar-nos na distribuição de panfletos, segurar faixas e quem sabe participar da intervenção!

Para isso teremos um ensaio nessa quinta feira, dia 18 às 19hs na garagem do Centro Cultural Vrinda- nosso atual espaço- onde será explicada detalhadamente a idéia da intervenção.

Bóra mudar o mundo?
Sintam-se todos convocados!!"
Mas quem saiu do sofá e compareceu no evento, pode ver (e você também poderá ver...) que:


Realmente quando a chamada pro evento chamava "TODOS", era TODOS mesmo...

Fui super bem acolhido, tanto que mesmo fugindo de carregar cartazes, segurar velas, distribuir receitas e manifestos (afinal não sou Vegano e muita gente do ativismo animal sabe disso) acabei sendo convidado (e com alegria, empolgação pela energia dos organizadores, aceitei sem pensar muito, diga-se) a aparecer/posar pra "groupie pós ato"

Vai ter gente purista que irá se incomodar com estas tais fotos, mas sinceramente, problema desse punhado de gente chata hehhehe

Bom, voltando ao ato tão bacana, já de cara ao chegar, me deparei com uma das mais bem sacadas "faixas" que já vi até onde a lembrança ajuda (e podem colocar décadas nisso)


Empolgado com a faixa e com o fundo musical (calma, explico... Do lado do ato tinha uma banda tocando Beatles), já comecei a filmar antes que a bateria morresse (lembrando que era a mesma bateria que, sei lá como, estava aguentando desde a OP Velho Batuta, na Sé...)


Enquanto filmava,fui recebido pela simpática e receptiva dupla abaixo que começou a me explicar sobre o ato, mesmo sem saber quem eu era, se é que sou alguém, ou se isto interessa heheheh...


Aí eu já reparei que a base do ato, além da super faixa citada acima, eram duas mesas, uma que mostrava o Natal sem Crueldade...




E outra que mostrava um natal com crueldade (vale dizer que o que aparecia na mesa não era exatamente o que dava pra entender, tipo, a carne representada, não era carne e o sangue, não era sangue), ideia genial e bastante impactante, diga-se...






Filmei mais um pouco (e viva o milagre da multiplicação da carga da minha bateria velha de guerra)


E fui encontrando uma ou outra pessoa conhecida (inclusive aquela guria de coração grandão que estava e eu citei na cobertura da OP Velho Batuta) e conhecendo várias pessoas novas, integrantes do Coletivo Revolução da Colher...



Fui parando, observando, acompanhando de perto...




Acompanhando de mais perto...


Logicamente achando e registrando camisetas legais... heheh

Alias, o prêmio pra camiseta mais batuta do ato, vai pra:



E o ato foi se desenrolando, ao som de Beatles...

Alias, vale uma lembrança que EU achei graça, e diz respeito a guria abaixo... Num dado momento a organização do ato e os que lá estavam ajudando de alguma forma começaram a pensar como iriam por em prática o minuto de silêncio final (já já falarei a respeito), principalmente com a tal banda tocando do lado... Aí a guria abaixo vira e, acalmando todos, avisou: "Pode deixar, eu JÁ FALEI COM OS BEATLES" e eles também irão participar do minuto de silêncio...

Tá!! Eu sei o que ela quis dizer, mas achei bonitinha a imagem quase espírita que eu fiz na cabeça na hora que ouvi isso hehehehe




Os participantes animados, alegres, realmente simpáticos e receptivos, à todos e todas que passavam e paravam, continuavam firmes cheios de energia...



Inclusive os ManifestaCÃES do dia...




Mas como nada é perfeito (pena) teve o "momento medíocre da noite" quando um grupo de seguranças particulares veio ordenar a retirada de uma faixa branca bem legal (não a fotografei, mas ela aparece nos vídeos) que estava no lado de fora do gradil super protegido pelas tais "toridades"...

Alias, lembram do que falei no ato "Ferguson é Aqui" sobre maus PMs, PCs, PFs, Militares e Seguranças Particulares... Lembram??? Pois é...


Mas vamos deixar os protetores do gradil de lado e vamos dar um prêmio especial pra camiseta abaixo... Especial pq pela primeira vez eu darei o prêmio de melhor camiseta de todo o dia, afinal não é em qualquer dia que cubro três coberturas diferentes e, eu adoro Laranja Mecânica hehehehe


Com segurança de terninho e cara de mau ou sem eles, o ato seguiu sempre muito bacana e, diga-se, com grande receptividade dos passantes...




Até um outro grupo vegano, que estava nas proximidades, fazendo sua maratona, mandou uma representante para pedir uma união de forças, pedido que foi aceito (lembram que eu disse que essa moçada do "Revolução da Colher" é diferenciada... Pois é...) e eles trouxeram e acomodaram suas coisas e participantes ao lado dos que lá já estavam, SOMANDO mais ainda a luta pela causa deles (lembrando que não sou VEGANO).



A noite foi chegando...



A moçada ia ganhando mais e mais energia ao invés de cansar...




Aí "falaram com os Beatles", distribuíram as velas entre os participantes originais, entre o povo do VEDDAS e até entre "os Beatles" (que anunciaram que iriam parar de tocar em respeito a um minuto de silêncio da moçada ao lado, dando inclusive o microfone deles para que os ativistas pudessem falar algo...) Isso foi muito batuta...


Confesso que deu vontade de pegar uma vela também, como os Beatles pegaram e até alguns que pararam nessa hora, mas repito que não sou Vegano e isso não me pareceu muito ético da minha parte, até pq seria meio medíocre pagar com uma velinha na mão sem saber o que teria de jantar em casa quando chegasse...

Mas mesmo não pegando, fiquei lá observando tudo e confesso que me emocionei muito tanto com o minuto de silêncio, como com uma guria, em especial, de cabelo João (que até onde entendi, veio com o VEDDAS) que chorava copiosamente (de frente pra mim) e que passava uma verdade de sentimento absurda (meu tempo de palco consegue reconhecer choro fake).

Quando o minuto passou e eu saí de trás da maioria, pude ver que outras ativistas também choraram, mas a guria de cabelo João me emocionou de verdade...

Após o minuto de silêncio, com o ato oficialmente acabado (embora eu acredite que ainda tenha gente por lá, dada a energia daquele povo) alguém teve a ideia (vcs viram que nos três atos de hoje esta ideia foi recorrente) de fazer uma GROUPIE, me chamaram, e como não era mais parte do ato e eu estava empolgado com aquela gente plural e adepta da pluralidade, eu peguei um cartaz com motivo não vegano e ligado a um ativismo animal que pratico/defendo/sigo...


E aceitei sair na foto, junto com um outro fotógrafo que estava cobrindo o ato e alguns ativistas tanto do VEDDAS quanto independentes (que vejo por aí e lá estavam).

Não postarei este Groupie, seja pq apareço, seja pq, como a reunião prévia do ato Fora Bolsonaro, entendo que foi algo particular e festivo, muito mais do povo que lá estava e por lá passou, do que um momento oficial do ato...

Então fica pra lembrança de quem teve a honra e alegria de interagir nessa manifestação bacana do Coletivo Revolução da Colher...

Até a próxima (mesmo que distante, até pq, por hoje, eu cansei hehehe)

P.S: Faz tempo que não via no ativismo animal (e no ativismo em geral) uma moçada tão leve como vi neste Coletivo... Eram Veganos sim, mas sem precisar provar nada, sem ficar posando de guerreiros, com cara de mau, na luta medíocre "veganos x carnistas", eram um coletivo sim, mas sem tentar catequizar ninguém, eram um grupo específico sim, mas que aceitavam somar com quem quisesse colar junto e até convocavam TODOS a participar... Adorei!!



Share on Google Plus

About Um Mero Espectador

0 comentários:

Postar um comentário