Ao falar de desconstrução lembrei da HQ Spawn

Em maio de 1992 Todd McFarlane, através de uma nova editora, a Image, apresentava para o mundo o personagem Spawn (Não vou entrar em detalhes, quem quiser saber mais sobre isto basta googlar), pois bem, vale dizer que tanto Todd quanto sua criatura revolucionaram os quadrinhos, inclusive no sentido literal afinal, dentre outras coisas, temos (e eu tenho, la la la) a mítica edição de número 10...

Revista esta onde é feita uma ácida crítica ao mercado americano de quadrinhos e que, só pôde ser impressa uma única vez e distribuída apenas nos EUA e Canadá. Alias, vale registrar que o resto do mundo (inclusive o Brasil) pula da edição 09 para a 11 (isso é batuta, frise-se)...


 


Mas...
Por mais que eu goste de HQs, vale lembrar que este não é o foco principal deste blog...
E voltando ao foco, vale explicar que, no mês passado, enquanto falava da desconstrução do C.C.C e do Black Bloc, acabei lembrando desta HQ que, já na sua estreia, em 1992, trazia (e isto foi recorrente nas demais edições) em suas páginas uma crítica/demonstração/ensinamento de como a verdade (muitas vezes não) é mostrada e (ou) tem várias formas de ser observada/contada/construída...

É verdade (ops!!) que, em tese, isto não é exatamente uma técnica de "desconstrução" ou de "assassinato de reputação", ok, mas serve como mais uma aula (até que bem lúdica) de como devemos pensar várias vezes antes de sair arrotando verdades ouvidas/lidas em algum órgão/mídia comercial (ou não), independente (ou não), de comunicação, afinal de contas, muitas vezes, vcs estarão apenas repetindo a "verdade" que é confortável à linha editorial daquele órgão, ou repetindo o que aquele órgão quer que vcs repitam sobre a "melhor versão" da verdade/fato, enfim, na grande maioria das vezes, estarão ou mostrando (e até brigando, tomando partido de) o que o órgão pensa ou comprovando, pro mundo, que foram bem catequizadinhos...

Dito isto e sem mais catequeses, seguem algumas (poucas) páginas tiradas das 9 primeiras edições, para apreciação, diversão e, quiçá, para aguçar a curiosidade de vcs pela HQ e ver que está visão da mídia não é minha, da direita, da esquerda ou recente!!

Até a próxima (mesmo que distante)









Share on Google Plus

About Um Mero Espectador

0 comentários:

Postar um comentário