[RELATO] 4º Grande Ato Contra a Tarifa (M.P.L)

Texto e imagens: Ribas Machado
Imagens: Marcos Jr.        


É...

Pois é...

Hoje, como estou bem incomodado com o que vi (até perdi o sono), soube e, principalmente, com o que estou concluindo...

Aviso/peço a vocês que tenham paciência (e voltem aqui em breve) pois a cobertura completa deverá sair só amanhã de madrugada...

Seja como for, justamente por eu estar incomodado, quero deixar aqui pra vocês a tradicional...

Versão Resumida:
(que não será tão resumida assim)

Nesta versão resumida, quero dizer que hoje cheguei cedo, era 16h39 e já estava batendo a primeira foto. Isto foi muito batuta pois pude reencontrar MUITA gente de outras coberturas, outros atos, outras ações e, até pela hora e calmaria inicial , pude colocar vários papos em dia...

Dentre essas pessoas que encontrei, acabei indo com duas delas, dois amigos (da "rua") que reencontrei, até a "Galeria do Rock" (pois queria achar fitas refletivas pro colete e pro capacete). 

No caminho passamos e (quase entramos -ficamos de entrar na volta, mas esquecemos-) na exposição...


Na volta da Galeria, acabei me separando dos dois amigos, nos desejamos sorte, e fui cobrir o ato que já se iniciava (a assembleia tinha acabado de começar), vi, fotografei, filmei, me emocionei, vibrei até com muita coisa, assisti a forte e bastante simbólica "Ação Direta"...


E, após a mesma, a massa começou a andar e a manifestação começou oficialmente...


Vale registrar que até existia um corredor polonês pelo caminho...


Mas tudo bem...

Vamborandar!!! (18h24)


Durante a caminhada, por volta das 18h46, vale o registro de que (todo) o ato passou por uma rua com três ou quatro cercados iguais ao da foto abaixo...


Aí alguém que assiste aqueles noticiários que usam do jargão "o ato começou pacífico, mas aí vândalos bla bla bla", poderia começar a chorar de desespero e achar que o seu mundo iria acabar ali, em uma chuva de pedras, respondida por uma chuva de bombas e balas de borracha, mas... Não!!!!

Todo ato passou pelos cercados, ignorou as pedras e nenhum ataque foi feito aos PMs que caminhavam junto ao grupo...

Esse clima predominou por, praticamente, todo o ato...

Digo praticamente pq quando o ato já estava para completar o trajeto previsto e votado em assembleia, trajeto este de pleno conhecimento da PM (que ouviu a assembleia), quando o ato já estava pra chegar na Praça da República, onde faria o Jogral final (hoje, inclusive com uma transmissão de vídeo bem bacana -que já estava por lá, montada, segundo pude constatar-) a PM alega que, alguém, do alto de algum prédio, jogou um rojão na tropa que, por sua vez revidou (desproporcionalmente, pra variar).


Os manifestantes, por sua vez, alegam que a primeira bomba foi da PM, que bloqueava os acessos à Praça da República, bomba esta que gerou tumulto e confusão...


Fica realmente complicado descobrir como começou a selvageria, até pq na sua própria página oficial a PM "se justifica" colocando um vídeo (muito mal) editado...


Mas, mesmo sendo quase impossível descobrir como tudo começou, infelizmente, dessa vez, somos meio que obrigados/forçados a não acreditar muito na "versão oficial" e esta falta de crença, se deve tanto pelo vídeo acima, muito mal editado, quanto pelo vídeo abaixo (sem nenhuma edição)


Pois é...
Vocês viram direito...
Eu e uma coleguinha (que queria saber quem é -pois sumiu depois deste momento podre-) estávamos, tranquilos, na República, com muitos outros jornalistas, esperando o ato chegar para o jogral, quando bem lá na frente, começou (continuou, se estendeu) um tumulto, reflexo dos atos citados e mostrados acima (explicarei melhor na versão completa) e, após tudo já estar sossegado, uma viatura veio do nada, na contra mão, do outro lado de onde o tumulto havia ocorrido, e ATIRANDO!!!!!

Aí, vendo a "edição oficial" e tendo vivenciado o espírito podre e sádico de ALGUNS membros da tropa, fica difícil duvidar da versão dos manifestantes cercados e vitimizados...

Mas... Ok!! O começo mesmo será difícil descobrir como foi (não impossível, mas...), porém o final ficou claro e, justamente por isto, como disse acima, estou incomodado/consternado/ p.da vida até...

Explico... Lembram que encontrei dois amigos, fui com eles até a Galeria e quase fomos ver uma exposição da Mafalda? Lembram que tudo estava tranquilo e pacífico (da parte dos manifestantes) por todo o ato? Lembram que me separei deles (dos dois amigos) e nos desejamos sorte?

Pois é, eu tive sorte... Mas um deles...



Vocês viram o tamanho do projétil, viram o tamanho da "bala", viram o estrago que ela fez????

Aí eu penso... Não importa quem começou...

O que importa mesmo é que não tem mais (se é que um dia teve) razão para a militarização das manifestações... Ainda mais quando nas tropas, existe uma minoria (ou maioria -sinceramente já não sei-) tão sádica, doente, boçal que, deve sentir prazer em fazer isto e aquilo (atirar de graça em jornalistas) e, depois ir pra casa brincar com os filhos!!

Bom...

A versão "resumida" é essa...

Querem mais informações e a versão completa????

Então cliquem abaixo no "mais informações" e "se divirtam-se" com mais de 120 fotos e muitos vídeos...


Não querem (não tem tempo pra) ver mais nada?

Então fiquem em paz e até breve...






Vamos para a versão completa??

Estão conosco??

Vai ser longa hein!!

Então borandá!!


VERSÃO COMPLETA:






Bom, lá fui eu pro Teatro municipal...

Cheguei cedo pois gosto dos preparativos e pq estava armando chuva...


Dei uma volta de reconhecimento e 16h57 comecei a registrar algumas imagens dos preparativos...

 

Ainda nem imaginava o que estava pra acontecer neste ponto...


E até por não imaginar, segui observando a movimentação...

 

Aí, por pura coincidência, quando deu 17h00 (horário do ato começar)


Registrei o aquecimento do Território Livre... (gosto dessas fanfarras)


2 minutos depois (17h02) CONSEGUI FINALMENTE fotografar esta camiseta que eu já havia gostado desde o 1º ato (Ah ha!! Eu disse que conseguiria!!)


 Olhei mais, registrei a presença de alguns ternos tradicionais


E então encontrei um bom conhecido, o "W", sujeito sossegado e boa gente, sempre pronto a ajudar, colocamos os 3 (ele estava com outro amigo) o papo em dia e, como tudo ainda estava sossegado, eles queriam ir comprar água e eu queria por faixas refletivas no colete, resolvemos ir até um bar e depois passar na galeria do Rock

Assim fizemos e as 17h04 já no caminho passamos pela exposição abaixo, quase entramos (antes tivéssemos entrado e esquecido o ato...), mas não... (calma vocês entenderão mais pra frente)


Por volta das 17h40 voltamos pro Municipal, e a Assembleia para a escolha do trajeto já estava começando... 

Como eu queria registrar a Assembleia e eles queriam achar outras pessoas, nos desejamos sorte e cada um seguiu seu caminho...


Regras explicadas, moçada acomodada, foi passado o calendário semanal de atos...


 Foram lidas as propostas...


Devidamente defendidas (evitei filmar pois algumas defesas são be chatinhas e mofadinhas... Até respeito e ouço, mas prefiro poupar vocês...)

A 1ª pelo rapaz abaixo...


A 2ª pelo jovem, representando o coletivo das camisetas batutas...



E a 3ª pelo Heudes que, hoje, era quem falava pelo MPL...


Defesas feitas...


Foi iniciada a votação...

Aqui vale registrar que após a defesa, o rapaz (ou alguém por ele) retirou a 1ª proposta...


Proposta 3 venceu e, como "sobrava tempo" o microfone foi aberto para quem desejasse falar/dar o seu recado


As pessoas e os coletivos aproveitaram (e eu achei bem batuta isto...)


Papo vai, tempo vem, acabaram as falas e, por volta das 18h20, foi feito o ato de abertura da manifestação/caminhada... (adorei, se bem que numa hora quase que rolou um acidente...

Aprendam!! Não se espirra álcool no fogo, ainda mais quando na direção deste espirrar, depois do fogo, tem uma coleguinha...)


Viu o vídeo, ainda está conosco?? Que legal!!

Bom, vamos continuar...

Após a queima "simbólica/real" da catraca, a massa começou a andar... (18h23)


Viu o corredor polonês montado...


Mas não se abalou...

 

E enquanto a catraca já ia apagando


Sendo novamente queimada


Pisada...


Chutada...


E esquecida...


Já por volta das 18h25...


Fui apresentado ao Heudes (que era o porta voz do dia) que gentilmente me concedeu algumas palavras...


Ouvido o MPL (através do Heudes)

Dei uma última geral na Praça...


E, 18h36, fui atrás do ato...


 Apertei o passo e no caminho fui registrando momentos legais...

 
 
 
 

Até que por volta das 18h41 cheguei na frente da prefeitura (boa parte do ato já havia passado) devidamente guarnecida por tropas do Estado, mas em paz...


Fiz imagens da calmaria nervosa...

 

E deixei pra lá, até pq eu não saí de casa pra ver gente fardada (nada contra, mas não tenho este fetiche), e voltei a avançar pelo ato...


Alias, literalmente PELO ato, pois as ruas escolhidas eram bem apertadas...

 Fui avançando...


E como se não bastasse o aperto, as ruas, já bem finas, ainda possuíam cercados, cheios do que pareciam um tipo de pedras portuguesas...


O que dificultava/afunilava ainda mais a passagem do ato (e mais duas linhas de PMs)


Mesmo com todas estas dificuldades, continuei avançando e registrando tudo (no melhor estilo Bruxa de Blair -mas sem nariz escorrendo...-)


OBS: Aqui vale uma observação/pergunta... Será que a inteligência da PM, tão preocupada com a liberação de acesso à Avenida Paulista (por causa das obras) não sabia dessas obras no trajeto, com montanhas de pedras soltas e juntas no chão, ou será que, justamente, sabia e não se importou de colocar TODOS (incluindo seus homens e mulheres) em risco... Nessas horas eu me pergunto qual seria a ordem que alguém lá no topo da hierarquia (que muitas vezes nem usa farda) deu/dá...?
Feita a observação/pergunta acima, vale registrar que os manifestantes (todos) passaram pelas várias tentações do caminho (segundo o entendimento de alguns analistas de manifestação que formulam teses estúpidas, dentro de escritórios e -ou- salas de redação com ar condicionado e vaporizador) e seguiram andando, em paz sem incidentes...

Alias, é complicado falar em PAZ, quando a nossa volta...

 
 
 

Alias eu falava em paz né??


Olhem quem estava a postos no fim do labirinto afunilado, onde os manifestantes TINHAM QUE se apertar com as duas linhas policiais, dividindo espaço em um ambiente cheio de pedras soltas no chão...

Curioso né? Será que este efetivo estava lá pra proteger os manifestantes, ou estava lá na expectativa de alguém cair em uma POSSÍVEL TEÓRICA isca/armadilha TALVEZ armada ou esquecida/desconsiderada por quem analisou um possível relatório da inteligência e, ao invés de bloquear a rua em construção, cheia de pedras, preferiu SUPOSTAMENTE colocar o choque de sobre aviso na saída do labirinto??


Não sei...

Só sei que o ato continuou em paz e deixou o choque sem ter o que fazer...

(Sim, a panorâmica abaixo ficou estranha, o OL que tá sempre aberto a dar entrevistas, conseguiu aparecer duas vezes hehehehe, mas eu a mantive pq ela TAMBÉM conseguiu captar o momento...)


18h53, bloco passando, choque, indo embora "fazer a segurança dos manifestantes" em algum outro ponto... (eu brinco com isso, mas sei que o Choque é uma tropa de quartel que, em tese, nunca deveria estar nestas manifestações, mas se lá está é pq alguém recebeu uma ordem, para dar ordens para que isto acontecesse...)

 E o ato seguiu feliz e em paz...


Vou avançando, pelo meio da manifestação (pois o trajeto escolhido, até então, ainda era muito apertado), olho de relance...


Paro, olho melhor e vejo o GAPP prestando algum atendimento (18h54)


Vou até eles, descubro que havia sido uma pessoa que tinha torcido o pé no chão todo esburacado (mas as ciclovias e os meus cabelos...), dou oi pra eles, dou tchau pra eles e sigo em frente...


 Vou vendo as fanfarras (eu gosto de fanfarras e suas musiquinhas de ordem)

 

 Encontro o Seu José...


 Encontro companheiros de asilo angelical (no pós bombas do 2º ato)


 E finalmente (pela primeira vez hoje) chego no começo do "bloco" (19h03)


Faço os registros de costume e vou andando...


Até que chegamos no Largo de São Bento e, junto conosco, chegou a chuva (forte, diga-se)


Me abriguei e, como já estava na frente do ato, considerei aquela como sendo uma boa hora para o clássico registro do bloco inteiro...

Então, 19h10, comecei...


Vocês repararam que a passagem durou por volta de 7 minutos, repararam que a moçada andava mais rápido do que de costume, viram que as linhas tinham por volta de 10 (ou mais) pessoas? Então vocês já tem como calcular o quantidade de pessoas aproximada né?? Legal!!

Ah!! Vocês repararam na viatura descaracterizada no fim do fim do ato??? Será que ela também estava lá para garantir o direito constitucional de se manifestar e (ou) a liberdade de imprensa?? Pois é (saibam que outra apareceria lá na República, não registrei, pois não estava em condições como vcs entenderão mais tarde, mas estranhei bastante, e sua presença foi bem comentada por mim e duas representantes do El País)

19h23  - Ato e parada militar terminaram de passar...


Mas a chuva ainda caía...

Aí fiz mais um registro (que saiu ruim) desse Mosteiro Beneditino que gosto tanto (e que faz uma Missa do Galo com canto Gregoriano, magnífica -fica a dica pro próximo Natal-)


Tentei ir pra frente do ato, usando o Metro que, por estar AINDA trancado, só complicou minha tentativa...



Aí o jeito foi apertar o passo (aproveitando que a chuva tinha diminuído), cortando o bairro rumo ao Largo São Francisco...


No caminho... Olha o relógio, da Cobertura da OP mais pão, aí, agora já sei o endereço dele... hehehe


Corri, fazendo alguns poucos registros (por causa da chuva ainda presente e do fato da minha máquina não ser a prova d`água...) mas, a cada momento e rua que passava, me sentindo mais seguro com tantas viaturas desviadas das suas funções normais de modo a dar bastante proteção pros manifestantes e pra imprensa... (esse fantasma ficou batuta na foto abaixo ehhehe)

 

E já estava quase alcançando o ato, quando...

19h51 - Parei pra registrar este local tão batuta que formou tanto colegas guerreiros (no passado)

 

Feito o registro acima, comecei a alcançar o fim da parada militar...


Fui passando por ela...


Passando... (detalhe que as viaturas vinham cheias... Quanta "proteção constitucional" não é mesmo!!??)


Até que cheguei no fim do "bloco"

Dei tchau pros giroflex


E fui acompanhar o que me interessava...


Aqui (19h58) a manifestação já tinha alcançado a Avenida Brigadeiro Luis Antonio, desviado e seguido para a Câmara Municipal...


 Fui junto e, 20h02, cheguei primeiro... Ou melhor, depois das tropas (que já estavam lá)...


Até por um trauma de 2013 (07 de Setembro), não quis ficar parado naquela região vendo mais uma tropa mais a frente...

Avancei um pouco e me posicionei em um local estratégico, próximo às duas tropas e à passagem do ato...


O Ato passou em paz, deixando mais uma vez as tropas sem trabalho...


Se bem que, deste momento em diante, o choque resolveu começar a fechar trajetos e direcionar o fluxo (curioso que quando mais, em tese, era necessário, eles -choque- optaram, ou melhor, tiveram ordem pra esperar no fim da rua (vai entender né...)


Eles fechavam...


 Eu me posicionava...

 

 O ato ignorava e seguia em paz rumo à Praça da República onde seria finalizado...


Aí eu esperava todo o ato passar e ia atrás dele, para novamente alcançar a frente...

20h15- Até que cheguei lá no ponto (para mim) clássico e querido da escadaria pra Estação Anhangabaú, onde parei, me posicionei e fiquei vendo o ato chegar...


Nisso achei uma pastelaria aberta e resolvi me alimentar um pouco (adoro pastel), enquanto o ato passava...

Assim foi até que o dono resolveu fechar o estabelecimento (desnecessariamente, mas não o culpo, afinal alguns colegas da imprensa insistem em só mostrar tragédia, vandalismo e destruição, deixando o "homem médio" vendedor de pastel com medo do que não conhece e -ou- só conhece através de versões editadas de mídias que editam versões...).

Paguei minha conta, tentei usar o banheiro mas ouvi o primeiro "estamos sem água"(isso iria se repetir várias vezes pelo trajeto), tentei lavar a mão do óleo do pastel (mas realmente não tinha água nem na torneira) me arrependi de ter parado lá, e fui atrás do ato...


20h27 - Consegui alcançar a metade final do ato, já lá próximo ao Teatro Municipal...

Como iria cair novamente naquelas ruas apertadas de trânsito complicado, resolvi cortar caminho e buscar a frente do ato...

A primeira ideia deu errado (hoje, penso, com sinceridade, "ainda bem") então resolvi cortar o caminho mais ainda e seguir direto pra República, onde "receberia" a chegada do ato...


Assim o fiz e lá fui eu andando rápido até que por volta das 20h36 (horário triste e fatídico, mas eu ainda não sabia) cheguei na República, onde me deparei com um clima nervoso, estranho, agitado mas paradoxalmente tranquilo... Aí fui tentando entender o que estava acontecendo, as viaturas passando, o choque se reagrupando e indo embora...


E fui andando...


Observando mais "murinhos do choque", ladeados por muitas viaturas...


O clima estava MUITO estranho, mas fui avançando mais...


Presenciei um jovem vir e jogar uma garrafa, que estourou na frente da tropa (que, curiosamente, não reagiu)


Respirei aliviado...


E então, 20h43, veio surgindo uma massa dispersa subindo a rua e chegando na Consolação, até parecia que o ato já havia acabado, quando, então, começa a aparecer a faixa tradicional que vinha à frente da manifes... OPS!!

Corri na direção da faixa, levei um susto ao verificar que ela vinha puxando... NINGUÉM! 

Mas guardei o posto e fiquei registrando (sem entender PN de) o que estava acontecendo...


OBS: Aqui vale contar que na frente da faixa, atrás da faixa, próximos à faixa, distantes dela, nos lados da faixa e na mão paralela da mão que a faixa entrou, vinha surgindo gente bem agitada, com atitude agressiva clássica de pós selvageria da PM... 

Sem entender nada, tentei andar/acompanhar o quanto deu, afastei alguns, tentei fazer com que abaixassem barricadas (que iam sendo montadas), como vocês devem ter ouvido no vídeo, até que a situação ficou impraticável e a PM começou a agir com seu tradicional estilo fofo e racional, ao mesmo tempo que mais gente surgia e se espalhava pela rua e pela praça (da República).

Então saí da frente da faixa e fui/recuei, para a outra mão, onde consegui guardar minhas costas, sair do olho do furacão, tendo uma visão mais clara de todo o terreno e toda a situação... 

Nisso continuei avançando "junto" com a faixa (ela numa mão e eu na outra), enquanto a massa presente, e dispersa, avançava pra dentro da praça da República e sumia junto com muitos PMs que avançaram atrás...

Parei um pouco, para entender o que estava acontecendo, onde eu estava e fiquei junto com outros(as) jornalistas, conversando (por isso desliguei a câmera) distantes dos que foram pra dentro da praça e dos que estavam na frente da faixa (e já tinham sumido mais a frente)...

Após poucos minutos de conversa e orientação minha e dos demais, liguei a câmera pra ir atrás dos acontecimentos e, então... (20h47)


20h48 Segundos (mesmo) após o ataque gratuito, covarde, boçal e sádico do vídeo acima, olhei em volta e vi o povo que estava carregando a faixa (minutos antes), também estava se retirando em direção a uma rua, fui atrás, pra registrar a atitude corajosa e séria deles, e, ao mesmo tempo tentar entender o que tinha ocorrido...


20h50 - Enquanto conversávamos, era possível ouvir bombas estourando bem perto e, então viaturas e tropas começaram a chegar na rua onde estávamos...

O pequeno grupo do MPL foi embora (e fez muito bem), sumindo rua a dentro, eu entrei mais na rua, parei e tentei ver o que ia acontecer, até que o choque fechou a esquina e quem estava próximo deles resolveu entrar na rua também, pequeno tumulto controlado, entrei mais na rua enquanto o choque permanecia parado...


Aí por volta das 20h55, eu e mais uns poucos jornalistas que, também, não queriam SER A NOTÍCIA, e estavam comigo parados no meio da rua sentindo o que estava (ou não) por vir, começamos a voltar pra república...


Passamos pelo choque...

Amarrei o cadarço (vale o registro)






Aí eu avistei (21h11) um grupo até que grande, reunido na República, um pouco mais distante e fui em direção a eles...


Cheguei e vi que lá estavam o povo do GAPP, OLs, Mídias diversas, Manifestantes, Defensores Públicos e curiosos...

Com eles fiquei me inteirando dos acontecimentos (que não sabia) e vendo a polícia ir embora e a Praça ir voltando à sua calmaria normal do horário...


21h36 - Muitos já tinham ido embora (inclusive a dupla de coleguinhas do El País) e eu já havia compreendido muita coisa...


Acompanhei o GAPP arrumar suas coisas...


Vi e participei de várias conversas paralelas...







E, com alguns mídias e alguns membros do GAPP, tomei o "caminho da roça" até que tudo acabou, embarquei, desembarquei e já por volta das...


Decidi que por hoje é só pessoal!!



Obs: Hoje o post irá acabar aqui, seja pq demorei muito para finalizá-lo e, basicamente já contei a pior parte na versão resumida, seja pq já subi uma matéria contando (em vídeo) tudo que aconteceu, enquanto eu estava cortando caminho, tranquilo, para alcançar a chegada do ato (que vinha lindo e pacífico) na Praça da República, onde rolaria um final bem bacana com vídeos e outras coisas lúdicas.

Obs2: Única coisa que eu tenho a acrescentar é um sincero PARABÉNS ao povo da organização do Passe Livre São Paulo, seja pela coragem demonstrada no carregar da faixa (sozinhos) até o fim (ou até onde puderam), mesmo debaixo de forte repressão, seja pela organização e preocupação com todos os manifestantes (explico... Enquanto estávamos no grupo final, fazendo o rescaldo, surgiram dois clássicos -um casal- que já podiam, estar em casa -e ninguém criticaria- preocupados com os feridos/detidos e, visivelmente, interessados nestes dados para tomar alguma atitude a respeito e solucionar tais questões/problemas), achei muito batuta tal atitude e essa turma ganhou mais um ponto comigo...

De resto...

Nada mais, só um até mais!!
















Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário