[MATÉRIA] Também participamos do jogo dos 7 erros (ou, no g1, Manifestantes apontam 7 erros da PM no 1º ato contra tarifas e vice-versa)

Texto: Ribas Machado


Olá! Tudo bem com vocês?

Daqui a pouco nós, do Mídia Legal Independente, estaremos na Praça do Ciclista, em São Paulo, cobrindo o 2º Grande ato contra a tarifa (edição 2015), antes, porém, resolvemos olhar a rede para verificar/sentir como estava o noticiário/clima a respeito e, entre uma ou outra matéria, uma ou outra postagem mais (ou menos) tendenciosa (para este ou aquele posicionamento), encontramos uma iniciativa bem bacana feita pelo "G1 São Paulo" (às 08h43 e atualizada as 10h22).

 
Iniciativa esta em que o Sr. Major Larry Saraiva (que comandou a Operação Militar -odiamos este termo, que fique o registro,- no ato do dia 09) e o Dr. André Zanardo (Advogado Criminalista que acompanha/monitora as manifestações já há alguns anos) apontaram/comentaram erros cometidos pelos manifestantes (Major) e pela PM (Advogado), ao mesmo tempo em que um "retrucaram/rebateram" os apontamentos/comentários do outro... Tal iniciativa foi bem interessante e bastante válida para a construção do debate nacional a respeito do tema "Manifestações"...

Feitas as explicações acima e devidamente linkada a matéria original, vale comentar que o G1 fez algumas observações, em alguns dos pontos citados pelos entrevistados, o que, além de agregar valor ao texto, nos deixou com inveja (uma invejinha boa, diga-se) e, diante deste sentimento pecaminoso, resolvemos também "brincar de achar/comentar os 7 erros"...  Para tanto, abaixo, trazemos os pontos e comentários (em sua "integralidade publicada" -afinal não sabemos o que foi, ou não, editado) e, abaixo de cada ponto (em verde) traremos nossa opinião/comentário a respeito...

Vamos lá? Prontos?
Que bom!!



Segundo o texto (lembrando que nós comentaremos usando uma fonte na cor verde):


"Polícia Militar e Movimento Passe Livre (MPL) voltaram a trocar críticas mútuas após o primeiro protesto contra o reajuste das tarifas do transporte público em 2015. Na sexta-feira (9), o protesto terminou com agências bancárias e concessionárias depredadas, uso de gás lacrimogêneo e 53 detidos."
**Faltou ao G1 comentar a respeito das várias pessoas, (manifestantes, jornalistas, passantes, moradores da região...), com danos físicos e psicológicos gerados pela reação militar desproporcional, descontrolada e totalmente sem foco (sim, preferimos, em um primeiro momento acreditar na boa fá da PM, ao invés de achar que a instituição apenas esperou uma desculpa para poder acabar com o ato que, em tese, não agradava o Governador -seu chefe maior-)
O G1 ouviu ativistas, o advogado criminalista André Zanardo, que participa dos atos e defende militantes, e o major Larry Saraiva, comandante da operação no ato. Ambos os lados se acusam de ao menos sete erros “clássicos”, que se repetem desde os primeiros atos de junho de 2013.  Um novo ato contra as tarifas ocorre nesta sexta-feira (15) na Avenida Paulista.

ERROS DA PM, SEGUNDO OS MANIFESTANTES


1 – CERCAR O ATO DESDE O COMEÇO 
  • VERSÃO DOS MANIFESTANTES: Tática do “envelopamento” é arbitrária e limita direito de ir e vir.
  • RESPOSTA DA PM: A PM diz ter acompanhado de perto, sem intervir. “Depois, a 'linha' que caminha com a manifestação não foi respeitada”, disse o major Larry Saraiva.
 ** MLI: Ao contrário do anunciado na semana que antecedeu o manifestação, a PM não cercou o ato desde o começo, não revistou todos os presentes, não praticou o envelopamento e praticamente não incomodou a concentração. Por outro lado, entendemos bastante discutível, segundo doutrina constitucional, esta questão de se "respeitar a linha" até pq, em tese, ela (PM) está lá para dar proteção aos manifestantes e evitar que outras manifestações contrárias ocorram no mesmo local e, não, para ter suas linhas "respeitadas"... (aqui, ponto pra PM)

2 – USAR A TÁTICA KETTLING PARA CONTER MANIFESTANTES
  • VERSÃO DOS MANIFESTANTES: O Manual de Controle de Distúrbios Civis da Polícia Militar condena a prática. “A multidão não deve ser pressionada contra obstáculos físicos ou outra tropa, pois ocorrerá um confinamento de consequências violentas e indesejáveis.”)
  • RESPOSTA DA PM: "Não houve".
* Nota: O G1 presenciou a PM encurralando grupo na esquina da Consolação com Matias Aires, quando vários foram detidos dentro do restaurante Sujinho.
** MLI: Não presenciamos nem soubemos do uso da Tática Kettling (também chamada de "Caldeira de Hamburgo"), alias, mesmo nos momentos mais complicados e tensos, era possível circular pelo ato e, vez ou outra, esperando um pouco (por segurança), era possível avançar... Por outro lado, cabe ressaltar (o que já foi dito na cobertura oficial) que, pelo menos no nosso entendimento, as técnicas de fatiamento da manifestação, só e simplesmente para facilitar seu esvaziamento, foram muito mais geradoras do caos e pânico do que um ou outro ato isolado e pontual de desobediência civil, praticados bem a frente, da frente do ato oficial. (aqui, ponto pra PM - 0x2)

3 – USO ABUSIVO DE ARMAS NÃO LETAIS
  • VERSÃO DOS MANIFESTANTES: Força desproporcional contra manifestantes que não atiraram contra a PM, segundo ativistas.
  • RESPOSTA DA PM: Utilização foi na medida adequada. “Eles agrediram com pedras, nós respondemos. Agrediram com pedra, respondemos com gás. Foi sólido contra gasoso”, disse Major Larry Saraiva.
**MLI: Ficamos tristes ao reparar neste sentimento ganguista de nós vs eles (externado inclusive em publicações, pré manifestação, na rede social, de integrantes "dos dois grupos/gangs" ou, como entrou na moda "facções") e, aqui, cabe registrar que realmente vimos pedras voando, mas até prova em contrário, entendemos que indiretamente tudo foi culpa da PM que não soube (reiteramos nossa crença na boa fé do grupo militar e preferimos não usar o "não quis") conter os minúsculos e super pontuais focos iniciais, protegendo o ato oficial e deixando este continuar sem incidentes... (aqui, ponto pros Manifestantes - 1x2).

4 – GENERALIZAR ATO ISOLADO
  • VERSÃO DOS MANIFESTANTES: A partir de um evento de depredação específico de um grupo, a PM atacou cerca de 30 mil pessoas, segundo os ativistas.
  • RESPOSTA DA PM: “Não tinha 30 mil pessoas, uma grande parte dessas pessoas que estavam praticaram atos de vandalismo e correram para dentro da manifestação, De dentro, atiraram pedras. Então, por isso, a dispersão teve que ser ampliada. Acabou generalizando”. PM diz que ato teve 2 mil pessoas.
**MLI: Vimos e filmamos (em um vídeo contínuo de quase 10 minutos) bem mais de 10 mil pessoas. Dito isto, vale dizer que mesmo se tivessem 2 mil apenas, nunca se poderia dizer que uma GRANDE parte destas (2 mil) praticaram atos de vandalismo, muito pelo contrário!! Tanto após o início da repressão, como, principalmente, antes dela, apenas algumas dezenas (grande parte -aí sim- rapidamente contida/detida) cometeram atos mais violentos de desobediência civil). Vamos dar um desconto ao Major, pois ele "estava conosco" no começo, do começo do ato, então, talvez tenha sido mal informado dos acontecimentos... (aqui, ponto pros Manifestantes - 2x2).

5 – DETENÇÕES ARBITRÁRIAS
  • VERSÃO DOS MANIFESTANTES: 53 pessoas detidas para averiguação, prática considerada ilegal pelos ativistas.
  • RESPOSTA DA PM: “Todas as pessoas detidas, que foram apresentadas à delegacia, tiveram conduta de desacato, vandalismo. Não teve ninguém detido de forma arbitrária”.
** MLI: Até pela nossa posição de cobertura DO ATO, não acompanhamos todas as detenções, porém, apuramos que as delegacias/delegados não fizeram eco para a enorme maioria das detenções (somente 1 caso, dos mais de 50 detidos, que acabou gerando alguma atuação formal da Polícia Civil) (aqui, ponto pros Manifestantes - 3x2).

6 – ALEGAR "CONFRONTO"
  • VERSÃO DOS MANIFESTANTES: Um grupo depredou imóveis, mas não atacou a polícia, assim como os 30 mil manifestantes. Portanto, não há confronto.
  • RESPOSTA DA PM: "Houve uma reação a agressões sofridas. O ato inicial partiu de um pequeno grupo, que atingiu policiais com pedras. Depois, em fuga, eles causaram danos a agências bancárias."
* NOTA: A equipe do G1 presenciou pedras sendo arremessadas contra carros da PM.
**MLI: Quando o CAOS se instalou, realmente, houve uma reação a agressões sofridas (de e por ambas as partes), porém, antes do CAOS se instalar (80% por culpa do amadorismo -reiteremos o desejo de não acreditar na "falta de vontade"/má fé- da PM) não tinha como se falar em confronto pois eram focos isolados de alguns desgarrados vs tropas treinadas e equipadas (que, diga-se, abafaram rapidamente tais focos) (aqui, ninguém vai pontuar - 3x2)

7 – IMPEDIR A FINALIZAÇÃO DO ATO
  • VERSÃO DOS MANIFESTANTES: Polícia cercou a Avenida Paulista e impediu que os manifestantes finalizassem o ato, prática ilegal.
  • RESPOSTA DA PM: "Não permitimos que entrassem na Paulista porque os atos de vandalismo estavam em larga proporção. A avenida está em obras e tem uma grande quantidade de entulho que poderia ser utilizado para arremessar contra os policiais."
**MLI: Realmente a Polícia não é liderança da manifestação e não tem que se meter nela, ao contrário, o seu (polícia) papel constitucional é proteger e garantir a possibilidade de manifestação previamente avisada (como a, agora, discutida). Por outro lado realmente a Av. Paulista tinha muito entulho o que poderia ampliar o CAOS criado/gerado/mal controlado pela PM (ao não proteger/segurar o ato enquanto resolvia os focos iniciais -e bem distantes- de problema). (aqui os Manifestantes ganham 0,75 ponto e fechamos este placar parcial em 3,75 Manifestantes x 2 PM)

ERROS DOS MANIFESTANTES, SEGUNDO A PM

1 – DEPREDAR IMÓVEIS E BENS PÚBLICOS
  • VERSÃO DA PM: Grupo que estava à frente da manifestação praticou atos de vandalismo.
  • RESPOSTA DOS ATIVISTAS: "Enquanto este pequeno grupo atinge coisas e bancos, os policiais estão atacando vidas. Se o cometimento de crime não é justificável de um lado, também não pode ser justificável pelo outro. A Polícia pode usar outros meios mais inteligentes para prender os envolvidos sem colocar em risco todos os manifestantes. Um exemplo simples seria usar as filmagens do banco e de outras câmeras ao redor para identificar os responsáveis", disse o advogado André Zanardo.
**MLI: Considerar tais "atos de vandalismo" como um erro que (de forma subentendida) teria ocasionado a repressão policial na proporção que esta ocorreu, aba sendo o grande erro deste item, porém, como realmente um ou outro ato realmente ocorreu, preferimos zerar a pontuação aqui.

2 – PERMITIR A PRESENÇA DE BLACK BLOCS
  • VERSÃO DA PM: Uma vez que a tática é depredação, MPL não poderia permitir a presença de mascarados nos protestos.
  • RESPOSTA DOS ATIVISTAS: "Utilizar a tática Black Bloc, vestindo-se inteiramente de preto, não é crime, você é livre para se vestir como quiser, seja por ideologia política ou estilo de vida . Logo, não cabe a ninguém, nem mesmo a polícia proibi-los de comparecerem durante as manifestações, ou qualquer local público que desejarem. Proibido, entretanto, é a prática de depredação, seja por quem for, ela deve ser contida pontualmente pela polícia, e não por outros manifestantes. Polícia é quem policia, e não os cidadãos, isso é um problema do Estado."
**MLI: Desde a revolta do Vinagre (junho de 2013) e as manifestações mundiais que ocorreram (e na opinião deste que vos escreve, inspiraram os brasileiros) anos antes, é fato notório a não existência de lideranças formais que possam permitir ou barrar a presença de ninguém, nem mesmo de "infiltrados", se mais não fosse, vale reiterar que os primeiros focos de problema/tumulto ocorreram bem na frente, da frente da manifestação, por desgarrados que não estavam formalmente nos protestos... Portanto a presença de praticantes da tática black bloc dentro do ato formal é até louvável pois, como filmamos e registramos várias vezes, estes e vários outros "grupos" estavam quietos, tranquilos e pacíficos, seguindo o que havia sido decidido por todos em assembleia... (aqui, vai um ponto negativo pra PM - 1x3,75)

3 – OCUPAÇÃO TOTAL DE VIAS
  • VERSÃO DA PM: Grupo fechou ambos os sentidos da Consolação, ao contrário do que havia sido combinado.
  • RESPOSTA DOS ATIVISTAS: "Quando existe um bom diálogo da polícia com a população as coisas costumam ser mais calmas, entretanto, como aprendemos desde 2013, trata-se normalmente de uma massa orgânica, sem líderes, microfones, ou megafones. Quem consegue colocar em apenas uma via milhares de pessoas que se juntaram espontaneamente?"
**MLI: Realmente tivemos desgarrados na contra mão da Consolação mas falar que o GRUPO fechou as duas faixas é bastante exagerado (vide imagem abaixo), tanto nas cenas que vi ao vivo (lá na frente da frente...), quanto nas cenas que vi na hora em que o grupo foi atacado. (aqui ninguém pontua, até pq, como registramos na cobertura oficial, um punhado de desgarrados QUE NÃO SOUBERAM andar na contra mão, acabaram dando desculpa para que toda a repressão fosse iniciada)



4 – NÃO OBEDECER TRAJETO DEFINIDO
  • VERSÃO DA PM: Ocuparam faixas e vias que não estavam previstas;
  • RESPOSTA DOS ATIVISTAS: "As manifestações são marcadas pela internet, sem lideranças, as pessoas se juntam e se forma o efeito manada durante o ato, organicamente. O estado deve aprender a lidar com essa nova forma de reunião social, seja um rolezinho, ou uma manifestação. Não adianta coagir, resistir, exigir trajetos, essa é uma massa disforme, não responde ao modelo hierárquico ensinado nas escolas militares."
**MLI: Aqui, cada um no seu mundo e "nos seus sapatos", está certo em pensar como pensou (pelo menos dá pra entender a origem de seus entendimentos), mas daremos 0,25 aos manifestantes, pois a PM já deveria ter aprendido que o "mundo manifestante" mudou e se horizontalizou desde 64, e que a Constituição permite isto... Placar: 4x1 PM

5 – MPL NÃO CONDENA ATOS DE VANDALISMO EM SEUS PROTESTOS
  • VERSÃO DA PM: Movimento apoia o vandalismo quando em suas notas omite e não critica a prática de vandalismo, responsabilizando apenas a PM pela interrupção dos atos.
  • RESPOSTA DOS ATIVISTAS: "Essa é uma política do MPL."
**MLI: Não vou falar de atos anteriores (que não acompanhei/lembro) mas neste ato específico, não vi/li NENHUM APOIO do MPL à prática de vandalismo e, como disse e repeti várias vezes não vi tais atos partindo da MANIFESTAÇÃO formal... (ninguém vai pontuar aqui, pois ambos os "grupos" tem direito de pensar e opinar como lhes agradar...Sem necessariamente estarem certos ou errados - continuamos em 4x1 PM).

6 – DESRESPEITAR POLICIAIS MILITARES
  • VERSÃO DA PM: Policiais foram insultados e desrespeitadas pelo grupo que causou o vandalismo, com ofensas pessoais, agressões.
  • RESPOSTA DOS ATIVISTAS: "Na maioria dos casos, quando levam um manifestante preso, e não se tem nada para colocar na ficha destes jovens, dizem que desacataram os policiais. Não é por menos que o artigo de desacato à autoridade é extremamente criticado por juristas, por facilitar arbitrariedades dos maus policiais."
* NOTA: O G1 presenciou, desde o começo do ato, manifestantes usando palavras de ordem para denegrir a profissão dos policiais militares.
**MLI: Toda generalização é burra (inclusive esta). Aqui ninguém pontuará e, mais, o G1 perderá 7 pontos por se posicionar de forma parcial e ignorante (de quem ignora) como criancinha mimada que fica apontando o dedo pra agradar a autoridade formal presente... Não que não tenham ocorrido tais palavras de ordem, mas, sim pq isto não é novidade desde MUITO antes de 2013 e, diga-se, não só no Brasil... Além disso, ninguém pontuará pq vídeos e relatos provam e comprovam que houveram ofensas e desafios de ambas as partes (muitos ocorreram inclusive antes do dia marcado, pelas redes sociais) e, como não apoiamos esta postura ganguista, daremos ZERO pra todo mundo neste quesito...

7 – FALTA DE DIÁLOGO COM O COMANDO DA OPERAÇÃO
  • VERSÃO DA PM: Marcamos uma reunião prévia e representantes do MPL não compareceram, apesar de que no local o MPL disponibilizou duas interlocutoras. Não foi suficiente.
  • RESPOSTA DOS ATIVISTAS: "Nunca é suficiente, pois não há diálogo com a polícia. Normalmente é uma perda de tempo, trata-se um formalidade burocrática da PM para justificar suas atitudes depois da manifestação, do tipo 'conversamos isso na reunião'."
**MLI: Aqui os manifestantes pontuam pois, muito embora tal dialogo não fosse necessário, nem obrigatório, legal e constitucionalmente, vimos, e a própria PM confirmou acima, a existências de interlocutores do MPL andando ao lado do Major por quase todo o trajeto...




 PLACAR FINAL 
(de 14 pontos disponíveis)

Manifestantes 5x1 PM


Até a próxima, que está bem próxima e, esperamos, possa ter um placar zerado ou, melhor, possa NÃO TER NENHUM CONFRONTO/COMPETIÇÃO entre grupos/gangs/torcidas organizadas/facções...
Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário