[RELATO] No dia da Mentira, panfletos e escrachos de (uma incômoda) VERDADE!

Texto e Imagens: Ribas Machado


É...

Pois é...

Ontem foi dia 1º de Abril de 2015, por muitos considerado como o dia da mentira (por razões que não entraremos aqui, mas qualquer googlada explica) e por outros (brasileiros) considerado como o dia do Golpe Militar de 1964. Some-se a isto o fato de que ontem se completou 50 anos da fatídica data (para muitos -pois temos alguns esquisitos que sentem saudade destes tempos-), isto bastou para Coletivos e Grupos sociais saírem às ruas de São Paulo para comemorar à sua maneira (panfletando e -ou- escrachando).

Não poderíamos ficar em casa... E, não ficamos!!

Inicialmente fomos até a Pinacoteca acompanhar o...


 Promovido pelo Coletivo...


Em frente à (tchan ran!!) Pinacoteca...


 


Depois, seguimos para o Largo General Osório, onde estava ocorrendo a concentração para a saída do...


E, com eles (e, neste "eles", leiam diversos Coletivos e grupos sociais - MTST, MPL, Fanfarra do M.A.L., Lute pela Água, Unidade Vermelha, o próprio Bloco da Mentira e muitos outros...)...


Seguimos em (longa) caminhada...



Esta é a versão introdutória/resumida...

Se interessou?

Quer ler/saber/ver e ouvir (os vídeos estão especialmente batutas) mais (eu aconselho...)

Então clique no link abaixo  ("Mais Informações") e seja feliz!!

Obs1:  Durante os eventos do dia de hoje, mais especificamente na caminhada com o Cordão da Mentira, soube pelo O.L. Manoel Chaves (lembrando que eu não uso celular) que estava pipocando na net, a morte da nossa amiga pessoal e grande Ativista Animal Daiane Guimarães. Poderia ser uma mentira, uma piada de MUITO mau gosto, dado o dia, mas não era e eu perdi o chão por uns bons momentos... Fica aqui nossa lembrança/homenagem!!

Obs2: Se você veio aqui pelo link direto da publicação, deverá ter reparado que não tem um "link abaixo", pois é... No seu caso, se quiser continuar lendo, basta ir descendo a tela...



Olha vocês aqui!!

Fiquei feliz agora, pois realmente gosto de gente interessada...

Mas... Borandar!!

Se você está aqui é pq leu a introdução acima, então inicio esta parte, dizendo que me atrasei...

Só consegui chegar no 1º Evento (a Panfletagem) às 17h15, mas, por sorte, o horário marcado, 17h00, (como costuma ocorrer) era o horário para o início da concentração, então não perdi (e vocês também não perderão) nada...

Cheguei, acompanhei a feitura das faixas...







Acompanhei a colocação delas, no gradil da Pinacoteca (e aqui cabe um parabéns para os seguranças, da mesma, pois, ao contrário do que geralmente ocorre com seguranças privados, estes, além de não impedir as faixas, ainda pediram panfletos e jornais -o povo da  "Nova Democracia" estava distribuindo uma edição- para ler...)



Dei uma olhada nos "Lambes" (com arte bem bacana)


E, enquanto eles se arrumavam/preparavam, fiquei lendo os panfletos...


Em seguida, com a panfletagem em curso (tanto na Pinacoteca quanto na Porta da Estação da Luz -não acompanhei este segundo grupo, até pq sou um só -até onde sei-)...

 


Fiquei conversando com os integrantes e conhecendo o Coletivo ao mesmo tempo que tive bons "debates" histórico/político/sociais (essa é a parte que eu sempre gosto mais...).

E assim foi... 
  • Eles, panfletando... 
  • Os Passantes, aderindo, perguntando, lendo... 
  • Nós, conversando
E o tempo passando... Até que começou a escurecer e (o que é natural naquela região _onde até a porta do Metro é fechada após as 18h00, "por segurança") esvaziar...


Fiz uns últimos registros, o Coletivo recolheu suas coisas e seguimos (eles resolveram ir junto...), por volta das 19h00, para o segundo evento, que ocorria lá perto (e que tinha a concentração marcada para as 18h00)...


Antes de dar continuidade ao relato, acho (tenho certeza) que valem alguns comentários...
  • Durante a panfletagem, eu estava um POUCO afastado e um senhor (se é mais velho que eu, então é idoso hehe) parou do meu lado e começou a gritar agressivamente, algo do tipo, "Vcs estão defendendo os corruptos!!!", "Vcs são loucos???"... No primeiro berro eu realmente assustei (pois ele estava literalmente do meu lado, ombro a ombro), já no segundo (eu já recomposto) entendi a confusão e acabei saindo da posição de observador (Mea Maxima Culpa) e, diante do susto do povo do Coletivo, que também não estava entendendo nada, interferi, explicando que o ato não estava defendendo os "Políticos Presos" mas, sim, os Presos Políticos que ousaram, dentre outras coisas, se manifestar contra tais políticos (hoje) presos... Aí o sujeito acalmou e, de bate pronto, soltou um "Ah bom!! Pq estes políticos tem é que morrer na cadeia!!" "É um absurdo!!"... Nisso a moçada do coletivo se aproximou mais e interagiu com o sujeito, no que eu me afastei e voltei para o meu posto de observador...
  • Outro ponto que gostaria de registrar é a minha tristeza com aquela região (para quem não sabe, estávamos muito perto da chamada "cracolândia" ) AINDA repleta dos "Zumbis" (como são chamados por alguns e alguns setores os "usuário de crack que habitam aquela região"). Nunca gostei deste termo, razoavelmente pejorativo, mas, ontem, não sei se por eu ter assistido o fenomenal último capítulo da Temporada de Walking Dead (sim, eu amo seriados), o termo caiu como uma luva e passei a entender a razão de quem o cunhou... Explico... Enquanto a panfletagem rolava, a noite/escuridão já se fazia presente e, não um, nem dois mas, três "desgarrados" surgiram (um por vez) no local onde estávamos e, vale dizer, que suas vindas do nada e voltas para a escuridão de onde vieram, as suas paradas e tentativas de diálogo acabavam por remeter qualquer pessoa acostumada com o folclore (fortificado por George Romero) à lembrança/comparação com os zumbis do cinema/tv... Isto impressiona, choca, entristece muito e gera vários pensamentos que, nas três vezes, tiraram todo o foco da pauta e, até pra não tirar o foco desta cobertura, fica a promessa de que UM DIA, farei/faremos alguma cobertura a respeito... DEFINITIVAMENTE, o vício lícito e ilícito é uma Mer...

Comentários feitos, voltemos à linha de acontecimentos...

Já era 19h19 quando chegamos (eu e a moçada da Unidade Vermelha) no Largo General Osório, que já estava bem cheio...


Ainda não dava muito pra entender o que ocorreria ali, até que recebi um panfleto com o trajeto que seria percorrido (peraí!! Vamos ter que andar...? Hmmm Tá bom!)


E as letras das músicas que (provavelmente) seriam tocadas no trajeto...



Aí eu vi vantagem hehehe

Mas ainda não estava nada muito claro...

Então fiquei rodando pela multidão, fui encontrando muitas pessoas e reconhecendo vários coletivos e grupos, até que achei o O.L. Manoel que conversava com um integrante do Cordão da Mentira...


Aí, conversando com os dois, soube que o integrante não se sentia confortável para falar em nome do Coletivo, mas consegui que ele trouxesse quem poderia falar, então ele trouxe a simpática guerreira Tais que, gentilmente, falou conosco...


Agora mais informados...

E se você quiser entender um pouco mais, vale ler o manifestado (originalmente veículado no site do Cordão)

Cordão da Mentira 2015 – Condenados da Terra

Companheiros e companheiras,
É chegada a hora de mais um desfil&scracho. Primeiro de Abril, dia da mentira, dia de nossa luta. O Cordão da Mentira sairá às ruas com o tema Condenados da Terra. Na mentira do nosso cotidiano enterraram nossa memória e, com ela, os povos indígenas, negros e imigrantes; os corpos femininos, transexuais; a vida operária, sem-terra, sem-teto. Lembrar é dar voz e o trajeto de nosso Cordão promete traçar o passado destes condenados.
Personagens de uma mesma história sangram no pacto de luta contra uma ordem cada vez mais fascista. Em nome do desenvolvimento, se massacra; em nome da lei, se encarcera; em nome da cultura, se vende.
O Cordão volta às ruas para mostrar que não compactua com isso. Contra o mimimi fascista, a batucada do samba. Contra a governança desmedida, a memória de luta.
E que o Cordão seja o espaço de luta de vários guerreiros e guerreiras. Que venham as lutas indígenas! Que venha a libertação negra! Que venha a Pátria Grande e sua gente! Que venham os corpos livres! Ocupemos a cidade para transformar seus territórios!
No ano de 2015, convidamos a criatividade de vocês no trajeto do Cordão. Organizem suas alas! Façamos nossa trincheira contra a Mentira da História. Ouçamos as vozes dos condenados e condenadas da terra que ainda clamam por justiça, verdade e mudança num beco silencioso das ruas do Centro!
O cordão tem o seu espírito calcado na roda de samba, no seu rito, nas suas composições e na sua verdade. Verdade de um povo que canta contra a opressão. Contamos com todos os coletivos, militantes e artistas parceiros para mais uma vez construirmos nosso Cordão com paixão e com verdade.
As ruas são para lutar!
Cordão da Mentira

Ficamos acompanhando e interagindo na concentração...
Obs: Aqui, antes de continuar, vale uma explicação nossa no sentido que, seguindo a máxima que diz que, a obra do artista, quando exposta (seu entendimento), deixa de ser do artista e passa a ser de quem a admira, nós/eu assim o fizemos/fiz e, portanto, os títulos dos vídeos e as leituras das várias intervenções, não serão necessariamente os/as oficiais, mas, sim, fruto do que senti como espectador... Ok?? Batuta!!
19h28, pouco antes do bloco sair, foi feito um minuto de silêncio em repúdio à recente aprovação pela CCJ da "maioridade penal aos 16 anos". Foram distribuídos sacos de plástico para cobrir a cabeça e muitos assim o fizeram...





Poucos minutos depois (19h39) e após alguns curtos e fortes discursos, o Cordão começou a andar...



Saindo do Largo...


Com apoio de quem assistia de longe...


E tomando as ruas do (longo) trajeto que estava por vir...







Vale dizer que todo o bloco/desfile era/foi muito musical, performático e artístico...





E por falar em performances, vale destacar um teatro que, com pequenas variações, se repetia/reinventava durante a caminhada, mostrando uma luta pela rua, travada entre "coxinhas/cidadãos de bem" (protegidos pelos "cães da puliça" e pela mídia tradicional) x os demais brasileiros que lutam por pautas sociais e sempre acabavam expulsos ou até mortos...








Detalhe, neste segundo vídeo, pras pessoas, com camiseta da seleção, sentando no chão pra ajudar os CPs (cães da puliça), atitude clássica e utilizada por "mirins" desde 2013...


Estas encenações, com faixas pedindo intervenção, gritos de "atira no negrinho", CPs perguntando que tipo de mídia você era, manifestantes com camiseta amarela tirando selfies e fotos sorridentes sinalizando corações com as mãos, já valeriam toda a andada...




Mas tivemos vários bonus!!

Conforme o bloco andava e passava...



Pois conforme o Cordão alcançava algum "local estratégico" (Prefeitura, Ocupações, Secretaria de Segurança, Penitenciária, dentre outros...), intervenções e novas performances eram feitas, de forma intercalada com discursos e falas contundentes (que aconselho ouvir, todas!!)







  • Não existe Brasil em 3ª pessoa...


  • Eu não sou da paz...


  • Acorda Prefeito, você tem visita...


  • Quem é você?


  • Bella Ciao (versão em português)



DE MANHÃ CEDO, NA NOSSA VILA,
BELLA CIAO, BELLA CIAO, BELLA CIAO!
DE MANHÃ CEDO NA NOSSA VILA,
NÓS SOFREMOS A INVASÃO.

COM OS GUERRILHEIROS... EU FUI EMBORA,
BELLA CIAO, BELLA CIAO, BELLA CIAO!
COM OS GUERRILHEIROS...EU FUI EMBORA,
PRA LUTAR ATÉ MORRER.

E se eu morro O GUERRILHEIRO,
BELLA CIAO, BELLE CIAO, BELLA CIAO!
E se eu morro GUERRILHEIRO,
ENTERRADO EU QUERO SER.

Lá nas montanhas, ONDE EU LUTAVA
BELLA CIAO, BELLA CIAO, BELLA CIAO!
Lá nas montanhas, ONDE EU L UTAVA
sob a sombra de uma bela flor.

SERÃO AS FLORES DE UM GUERRILHEIRO,
BELLA CIAO, BELLA CIAO, BELLA CIAO!
SERÃO AS FLORES DE UM GUERRILHEIRO,
QUE A LIBERDADE DEFENDEU.
SERÃO AS FLORES DE UM GUERRILHEIRO
QUE A LIBERDADE DEFENDEU
  • Mães de Maio


  • Homenagem a Lua(na) Barbosa


  • Poesia de Mahmoud Darwish



  • Mães de Maio 2


  • Povo Livre, Povo na Porrada


Acho que conforme vou ficando (mais) velho, vou ficando mais emotivo, pois realmente me emocionei em várias das ocasiões acima (e estou até agora cantando Bella Ciao -que fazia tempo que não ouvia-) e abaixo...







Os CPs fizeram várias intervenções batutas (até bateram no O.L. Manoel hehehe) mas, nesta abaixo, eu, particularmente, achei bastante forte, pois eles barraram a entrada da Faculdade de Direito São Francisco, o que pra mim (que Também sou advogado militante tem quase 20 anos) teve um significado de proibição das pessoas conhecerem os seus direitos...

Foi, simples, mas bastante forte!


E por falar em CPs (cães da puliça) falemos do acompanhamento policial da manifestação...

Se bem que... Ops!!

Não houve acompanhamento militar à manifestação...

Vez ou outra algum PM aparecia ou, por acaso, passávamos ao lado de algum, mas, quem realmente acompanhou toda a caminhada foi a CET...


Resultado: Tivemos vidraças, carros e bens públicos e privados destruídos, prédios públicos ocupados, ônibus incendiados, pessoas de bem e pequenos comerciantes roubados... ?????

Não responda agora!  Calma, pensem e lembrem que vários coletivos e grupos tradicionais estavam presentes... MPL, MTST, Unidade Vermelha, Lute pela Água (lembram deles, aqueles que ficaram presos pelo choque no MASP, dada a sua enorme periculosidade...tsc tsc)


NÃO!!!!!!!!!

Até tivemos um ou outro ato típico de uma manifestação normal que se insurge contra o sistema (não contamos aqui as comemorações futebolísticas, a passagem de ano na Paulista e aquelas micaretas e "fora e pró Dilma" dos dias 13 e 15 de março) como lambes colados em paredes, pichações, grafites, colagens de nomes de vítimas do regime, de ontem e de hoje, em placas de rua, mas em nenhum momento algo que não pode ser limpo, foi feito e a PM não fez falta para "manter a ordem", alias, tomando por base as últimas manifestações desde 2013, AINDA BEM!!!

 





A única situação desagradável ocorreu quando um carro que tinha, no banco do passageiro (se eu vi bem - me corrijam ou confirmem por favor-) um senhor, usando quepe militar, nas proximidades da Prefeitura, quis passar/furar o bloco, buzinando e "carteirando" a CET e alguns PMs que estavam próximos até conseguir dirigir pela calçada e sair pela contra mão de onde veio...


 Mas foi só...


 O Bloco seguiu feliz e eu segui junto, pelo menos, até a Praça da Sé, quando ele (Cordão) avançou reto entrando na praça e seguindo rumo ao Páteo do Colégio (onde acabaria) e, eu, por volta das 22h13, desviei e fui pegar meu ônibus pra vir pra casa (feliz e emocionado)



Eis o relato deste dia da mentira repleto de verdades...

Talvez eu volte para algumas observações, talvez não...

Mas... seja aqui, seja em outro post, eu/nós voltaremos!!!!

Até breve!!!
Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário