[REGISTRO] Ato “Contra a Direita, Por Mais Direitos!”

Neste exato momento (17h00) inicia a concentração oficial (pois temos relatos de que desde o 12h00 já tem manifestante no Largo) para o evento:



Nós não poderemos ir...

Pena, até pq, ALGUMAS (poucas) bandeiras/pautas nos eram interessantes e gostaríamos de ouvir as abordagens dadas à elas...

Alias, como quem nos conhece já sabe bem, mesmo as bandeiras/pautas que não concordamos (maioria) seria (sempre) interessante ouvir e conhecer mais, trazendo pra vocês todas as defesas e ataques, da forma mais imparcial possível, como é nosso dever moral com vocês... (vocês, vocês, vocês, este eco não ficou gramaticalmente legal, mas... VOCÊS são nossa razão de existir, então fica assim mesmo...)

Mas, não vai dar mesmo...
Obs: Se alguma amiga(o) do M.L.I. for e tiver fotos, vídeos ou comentários a fazer, este post estará aberto para acolher tal material.

Explicações dadas, segue, abaixo, informações sobre o ato e, o manifesto:


   
Mtst - Trabalhadores Sem Teto
15 de abril às 08:27

Informações importantes sobre o ato “Contra a Direita, Por Mais Direitos!”

Concentração: 17hs no Largo da Batata;
Como chegar: Qualquer ônibus que passe em Pinheiros ou metro Faria Lima;
Saída: Entre 17:30 e 18hs;
Trajeto:
- Sairemos do Largo da Batata pela Av. Faria Lima,
- Subiremos a Av. Rebouças até a Rua, Oscar Freire (onde faremos um protesto rápido contra o preconceito dos comerciantes),  ( NÓS, do M.L.I GOSTAMOS DESTA PARTE)
- Subiremos a rua Augusta até a Av. Paulista e 
- Seguiremos até o prédio da FIESP, onde ficam o chefe dos patrões que estão por trás da aprovação do PL 4330 das terceirizações entre outros ataques; 
Perspectiva de término: Por volta das 21 horas;

Movimento dos Trabalhadores Sem Teto 






Abaixo, Manifesto de convocação do do ato e todos os seus signatários:

CONTRA A DIREITA, POR MAIS DIREITOS! 

Em resposta à ofensiva da direita e ao ajuste fiscal do Governo construiremos uma grande mobilização em 15 de Abril. A resistência é nas ruas! 

Leia a seguir o manifesto que está aberto para adesões de coletivos, entidades, movimentos e organizações: 

MANIFESTO CONTRA A DIREITA, POR MAIS DIREITOS! TODOS ÀS RUAS EM 15 DE ABRIL! 

Vivemos um momento de descontentamento social e grande polarização política no país. De um lado uma contra-ofensiva conservadora, com manifestações que tentam canalizar essa insatisfação para uma agenda de retrocesso. 

Elas tiveram eco no Congresso Nacional – que tornou-se um reduto do atraso político, sob o comando de Cunha e Renan Calheiros – e pautou propostas como: a redução da maioridade penal, a PL 4330 da terceirização, a lei antiterrorismo, a autonomia do BC e a PEC da Corrupção, que legaliza as doações empresariais para as eleições. 

A direita tenta impor a sua agenda política semeando a intolerância e o ódio, propondo políticas que incentivam o racismo, o machismo e a LGBTfobia. De outro lado, o governo federal faz a opção de jogar o custo da crise mundial no colo dos trabalhadores.  (NÓS, do M.L.I GOSTAMOS DESTA PARTE, mas fazemos uma leitura generalizada de "trabalhadores", incluindo a classe média com todos os seus tons de cinza )

O ajuste fiscal e as medidas propostas pelo ministro Joaquim Levy reduzem direitos dos trabalhadores, dificultam o acesso a políticas e direitos sociais, corta investimentos para educação e moradia. Associado ao aumento de tarifas, que vem sendo seguido por vários governos estaduais, só agrava a situação do mais pobres. Sem falar na crise da água em São Paulo que é de responsabilidade do governo tucano no estado. 

A política de ajuste fiscal do Governo Federal é indefensável e dá espaço para que as bandeiras levantadas pela direita ganhem apoio. Entendemos que a saída da crise é pela esquerda. 

O ajuste deve sim ser feito, mas taxando aqueles que sempre lucraram com as crises. 

É preciso taxar as grandes fortunas, os lucros e os ganhos com a especulação financeira e na bolsa de valores, limitar a remessa de lucros para o exterior, reduzir drasticamente os juros básicos da economia e uma auditoria da dívida pública. 

O caminho para mudanças populares no país um Programa de Reformas Estruturais como a tributária, que implante a progressividade nos impostos, a urbana para atender a enorme demanda habitacional do país, a agrária que garanta trabalho e soberania e segurança alimentar para a população e a democratização dos meios de comunicação. 

O enfrentamento da corrupção deve ser feito com a defesa clara de uma Reforma Política Democrática, com o fim do financiamento empresarial das eleições e o aprofundamento da participação popular. Neste sentido é preciso fortalecer iniciativas como o projeto da Coalização Pela Reforma Política Democrática, a Campanha por uma constituinte do sistema político e o Devolve Gilmar, que exige a retomada imediata do julgamento da ADI 4650, obstruída escandalosamente a um ano pelo Ministro Gilmar Mendes. Por tudo isso estaremos nas ruas no próximo dia 15 de abril. 

É fundamental construir uma agenda política alternativa que combata as propostas da direita e que ao mesmo tempo defenda os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras contra os ajustes antipopulares propostos pelos governos estaduais e federal. 

Essa agenda comum deve ser a base para a unificação de todos os setores populares e da esquerda em torno de um calendário de mobilizações em defesa e ampliação dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, do povo pobre e de todos os setores oprimidos da sociedade. 

Deve também apoiar todas as iniciativas de luta e resistência, como a greve dos professores de São Paulo. Contra a direita, por mais direitos. A pauta do nosso Ato está focada em 3 eixos: 

1 – Em defesa dos direitos sociais: Não ao PL 4330 da terceirização e ao ajuste antipopular dos Governos. Pela taxação das grandes fortunas, dos lucros e da especulação financeira! 
2 – Combate a corrupção, com o fim do financiamento empresarial das campanhas eleitorais! 
3 – Não às pautas conservadoras, à redução da maioridade penal e ao golpismo! 

Contra o genocídio da juventude negra! A saída para a crise são as Reformas Populares! 

Dia 15 de Abril, às 17 horas, no Largo da Batata, em São Paulo. 

Ocorrerão mobilizações também no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza e Curitiba, dentre outras capitais. 

Reserve sua agenda, convide mais pessoas e venha para a rua construir uma alternativa popular para o Brasil. 

Convocam:

  • Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) 
  • Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) 
  • Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) 
  • Central Única dos Trabalhadores (CUT) Intersindical 
  • Central da classe trabalhadora Fora do Eixo / Mídia Ninja 
  • Articulação Igreja e Movimentos Sociais Igreja Povo de Deus em Movimento (IPDM) 
  • Uneafro 
  • Coletivo Juntos Rua 
  • Juventude anticapitalista Coletivo Construção Movimento de Luta nos bairros e favelas (MLB) 
  • Círculo Palmarino Juventude Socialismo e Liberdade (JSOL) 
  • Movimento de Luta por Moradia (MLM) 
  • Partido Comunista Revolucionário (PCR) 
  • Pólo Comunista Luis Carlos Prestes 
  • Movimento Periferia Ativa Movimento de Mulheres Olga Benário 
  • Rede Emancipa Kiwi Companhia de Teatro Grupo Parlendas 
  • Coletivo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes Sinpro Guarulhos ASSIBGE
  • SN/Núcleo São Paulo Brigadas Populares 
  • Centro Acadêmico de Relações Internacionais (CARI) da PUC-SP 
  • Terra Livre - Campo e Cidade 
  • Movimento Hip Hop 
  • Bahia Frente Ampla de Estudantes 
  • Bahia Juventude Comunista Avançando (JCA) 
  • Gremio do ITB Belval Quilombo B2 
  • Iris de Jesus Coletivo Café Filosófico da Periferia 
  • Diretório Acadêmico de Serviço Social da Universidade de Santo Amaro 
  • Ceupes Isis Dias de Oliveira Coletivo Baobá 
  • Movimento de Cursinho Popular Frente de Cursinhos Comunitários e Populares 
  • SP Centro Acadêmico XI de Agosto 
  • Gestão Canto Geral (Faculdade de Direito da USP) SAJU-USP 
  • O Cacs autogestionado(centro acadêmico de ciências sociais) / PUC 
  • Centro Acadêmico Guimarães Rosa (GUIMA) de Relações Internacionais da USP 
  • Organização Comunista Arma da Crítica 
  • OCAC Centro Acadêmico João Mendes Jr., da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie 
  • Coletivo Domínio Público SP
  • Observadores Legais 
  • Movimento Voz ativa 
  • UFMG União da Juventude Rebelião 
  • UJR Revista Opera PCB

--------------------------------------------------------------------



É...
Pois é...
É isso...

Fica o registro e poucos comentários/adesões bem pontuais...

Até a próxima!!



















Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário