[COLUNA] Machadadas enojadas em quem ensina a mentira, a desconstrução e o assassinato de reputações

Coluna: Machadadas     
Texto: Ribas Machado


Quem nos acompanha sabe que passamos pelo acampamento dos Professores, na Praça da República, poucos dias depois da montagem e antes da inauguração oficial...

Quem nos acompanha sabe que fomos por causa de um evento veiculado nas redes sociais mas, quando lá chegamos, acabamos descobrindo que ninguém, que lá estava, conhecia, os jovens, o "povo do evento"...

Quem nos acompanha sabe que fizemos o levantamento deste desencontro e descobrimos que o "povo do evento" era um coletivo que buscou ajudar o acampamento, no seu início, descobrimos também  que o acampamento acabou sendo dominado/construído/organizado pela APEOESP e o que era para ser uma greve/acampamento dos professores, acabou virando uma greve/acampamento nos moldes antigos, ou seja, verticalizada, com sindicato, megafone e lideranças aparecendo (só elas) na mídia e falando suas opiniões, em nome de todos os demais, em encontros com secretário e governador...

Estes pontos levantados acima, não representam um demérito ou uma crítica ao movimento, eles que façam como quiserem fazer... Mas... Isto, esta postura antiga, mofada e quase falida não nos empolgou em acompanhar de forma muito próxima, até pq entendemos que manifestações assim já possuem estruturas, partidos, know how próprio e não precisam de mais nada... Seguem a cartilhinha e vão tocando a vida felizes e contentes...

Outra coisa que nos entedia é o fato de que NORMALMENTE, neste formado antigo, a única notícia que se consegue levantar é composta de atos e falas "chapa branca" que, na enorme maioria das vezes, não representam a opinião da classe mas, sim, a opinião de um grupo (que geralmente fica "por trás") contra algum alvo POLÍTICO...

Seja como for, como não poderia deixar de ser, não deixamos de acompanhar as redes sociais e as mídias, até para ver o andamento das movimentações.

Vimos/lemos o movimento "chorando" pq ninguém da mídia os cobria, vimos o movimento chamando ajuda de professores (que não eram da patota), de alunos e pessoas em geral, vimos factoides sendo criados, como por exemplo alguns atos mais violentos ocorridos na tentativa de abertura, à força, da porta da secretaria de educação (dia 23 de abril de 2015), e soubemos do ato que ocorreria ontem (24 de abril de 2015).

Tá tá tá, justamente por causa das cenas de professores contra a porta da secretaria, justamente por este factoide desesperado e mal conduzido, acabamos ficando curiosos em ver a manifestação de ontem (sabemos e pudemos comprovar, que outros colegas da mídia também se deixaram infectar por tais cenas e para lá foram, cobrir a manifestação).

Nós ficamos curiosos, muito curiosos, porém quase no mesmo horário e em outro canto da cidade, ocorreria a saída da Marcha pela Liberdade, promovida pelo Movimento Brasil Livre... 

Com dor no coraçãozinho, optamos (tivemos que optar, pela falta de equipe disponível para duas pautas) pela cobertura da saída da Marcha pra Brasília, até pq, temos acompanhado essa pauta desde o seu início em 2014.

Acho que nunca fizemos uma escolha tão acertada...  Assim que chegamos da rua e abrimos a internet, já de noite, começamos a ver/ler as seguinte notícias (dentre outras). Reparem nos trechos em vermelho...

 Em que coleguinhas relatam (em uma matéria que começa chamando para o fato de que: "um cinegrafista do SBT foi jogado no chão por black blocs e levou socos e pontapés"), que um grupo de cerca de 70 black blocs se infiltrou, vestidos com camisetas pretas e adesivos da Apeoesp colados na roupa, cercando e agredindo profissionais da Globo e do SBT." (vejam detalhes no link acima).
 Em que coleguinhas relatam (dentre outras coisas), avisando que a base (aparentemente não checada) veio do "Estadão Conteúdo", repetem que: "Cerca de setenta pessoas com camisetas pretas e adesivos da Apeoesp (sindicato dos professores) cercaram e agrediram profissionais que faziam a cobertura da manifestação dos docentes na tarde desta sexta (24), na região central de São Paulo. Um câmera do SBT que reagiu ao ser atingido por sacos de lixo na cabeça foi jogado no chão, recebeu chutes e teve seu equipamento quebrado. A repórter Michelle Barros, um produtor e um câmera da Rede Globo foram perseguidos por três quarteirões e se esconderam num bar para não serem agredidos. A Apeoesp e a PM afirmam que o grupo era de black blocs."
Que, também, dentre outras coisas, diz: " Um cinegrafista do SBT foi agredido fisicamente no tumulto. Ele levou chutes e socos após ser empurrado ao chão e ter seu equipamento quebrado. Neste momento, professores da Apoesp intervieram, afirmando que os vândalos seriam infiltrados, e não docentes."

Vimos também uma (em tese -não apuramos-) professora que usou da sua página pessoal no facebook para eximir os "professores" de todo o tumulto e culpabilizar por tudo que ocorreu um certo ativista que (até pelo fato de estarmos há anos fazendo coberturas na rua), gentilmente, no passado, já nos cedeu uma entrevista e que hoje em dia, de tanto nos encontrar, podemos dizer que conhecemos pessoalmente.

Alias, vale citar que acompanhamos todo o drama vivido por este rapaz, drama este que a tal Sra. Professora, em um rompante nada humano e nada professoral, usa e abusa de imagens e desconstruções para tentar denegrir a imagem e assassinar uma reputação de alguém que PELO QUE ENTENDI, e pude levantar, estava lá simplesmente atendendo o chamado de adesão ao movimento que, de forma desesperada e repetitiva, por semanas, tem implorado para que outros professores e alunos venham engrossar o "grupo oficial"... 

Obs: Não iremos colocar a imagem do "post professoral", que resvala em alguns artigos do código penal e do código civil, até para não ecoar ainda mais um ato tão podre e pequeno, mas temos sim a imagem e, a mesma não é difícil de ser encontrada nas redes sociais, pois até ontem, mais de 40 outros "professores" a haviam compartilhado, provando seu grau de inteligência ou má fé...
Após ver tudo isto, nos assustamos e resolvemos fazer a nossa apuração dos fatos, afinal de contas (tirando o sensacionalismo "mais do mesmo" da mídia tradicional), a fala e o post da Professorinha eram muito carregados de ódio/certezas e, some-se a isto o fato de que, como já assumimos, conhecemos pessoalmente o rapaz alvo da "tia" e sabemos que ele, até por se lançar nas causas que acredita, as vezes exagera um pouco na energia (embora nunca tenhamos constatado mais do que discussões e agressões verbais -podem até terem ocorrido ações diferentes algum dia mas, NÓS, nunca constatamos-)

Durante a apuração, dentre outras informações, chegamos ao vídeo abaixo (que optamos por salvar em nosso arquivo -sem omitir a autoria- até para dificultar que ele suma repentinamente):


Vejam o vídeo...

Vejam de novo, agora com calma e reparando nos detalhes...

Pronto???

Querem ver mais uma vez?!?!

Então vamos lá...
  • Vocês viram algum mascarado?    (eu não vi);
  • Vocês viram 70 mascarados?    (eu não vi);
  • Mas ninguém falou em 70 mascarados, Ribas, falaram só nos Black Bloc infiltrados com blusas pretas!!    (Ah tá!!! Aí muda tudo não é??? NÃO!!);
  • Mas, tá bom, Vocês viram o "bloco negro", a "mancha negra" de 70 infiltrados no meio do tumulto, olha que estava escuro e isso facilita alguma falha visual? Viram?    (eu não vi);
  • Vocês viram os coleguinhas do SBT (são aqueles dois, fantasiados de "tropas de paz da ONU"), levando chutes, socos e sendo empurrados ao chão?     (eu não vi... O que vi foi a dupla do SBT deixando de lado o trabalho e, como disse a VEJASP, reagindo e -OS DOIS-  saindo correndo pra cima de UM manifestante -de blusa negra, ok- que parecia estar com uma bandeira enrolada, na mão. Momento em que um sujeito de blusa clara, aparência de alguém com mais idade e bolsa a tiracolo, típica fantasia de intelectual ou professor de humanas, passa o pé/dá uma cutucada no pé de um dos dois colegas do SBT que, voa pro chão);
  •  Vocês viram os coleguinhas do SBT, após levantarem do voo serem agredidos FISICAMENTE pelos manifestantes?     (eu não vi... O que vi foi a dupla do SBT ser amparada/ajudada/socorrida até, por alguns dos mesmos que estavam no meio do furacão, grupo este com blusas de todas as cores, inclusive blusas escuras...);
  • Vocês viram coleguinhas acuados dentro de um bar?  (eu vi, e confesso que mesmo sem saber as razões, esta parte eu não gostei!!);
  • Vocês viram o equipamento do SBT ser quebrado pelos 70 black blocs, ou por algum destes "infiltrados de blusas negras"?    (eu não vi, o que vi foi, em uma cena, um manifestante cobrir a câmera do SBT com a mão, quando então levou um tapa e, moto continuo, foi iniciada uma rápida discussão, também rapidamente apartada. Também vi, em outra cena, como já citei, um dos dois "soldados da tropa de paz da ONU", sair voando, após uma cutucada covarde em seu pé -dada por uma pessoa com todos os cacoetes visuais de professor- momento em que muito provavelmente, diante do voo e da aterrissagem forçada no chão duro, acredito que possa ter quebrado algo que ele estivesse carregando... );
  • O Tal manifestante, que vestia branco, diga-se, que tapou a câmera do SBT e rapidamente discutiu com os dois coleguinhas, por acaso participou dos eventos que se seguiram? Foi quem derrubou o coleguinha que alçou voo, bateu em alguém? (eu vi e posso dizer que não, não e não!!!!! Ao contrário, o vídeo mostra, pra quem quiser ver, que o citado ficou de longe, em companhia de uma -possível- senhora/professora olhando as cenas, cenas estas que, diga-se, começaram também sem sua participação!! Reparem no vídeo que após a discussão e a turma do deixa disso, há uma imagem contínua que vai pra dentro do bar, e que quando volta para massa, distante do rapaz alvo da "tia", podemos ver os coleguinhas do SBT saindo correndo em outra direção, atrás do sujeito com a bandeira...);

Já está bom não é? Querem ver o vídeo de novo pra constatar algum dos trechos citados??

Eu espero...

Pronto??

Perfeito!!

Então agora, acho que cabe concluir dizendo que...

- Não achamos certo atacar a imprensa (até pq não gostaríamos de sermos atacados DE GRAÇA, somente por questões de opinião), mas, porém, contudo, todavia sabemos que alguns coleguinhas acabam fazendo um papel muito medíocre, parcial, sujo, vendido até... O que gera sentimentos ruins nas pessoas que acabam sofrendo na pele e na rua, por estas edições e matérias forjadas, muitas vezes com muito pouca moral e ética e as vezes até de forma criminosa. Com tudo isto, continuamos sem achar certo atacar coleguinhas, muito embora consigamos entender certos casos e certas ofensas VERBAIS...
- Não achamos certo, e vale dizer que isto é uma regra que qualquer foca sabe, publicar matérias sem confirmar os fatos!! Isto fica pior, quando em uma clara demonstração de espírito de porco (ops! corpo) e de revanchismo preconceituoso, resolve-se ecoar/repetir matérias que, já nas fontes originais, estavam duvidosas. Em uma típica e infantil brincadeira de telefone sem fio... Jornalismo não é brincadeira coleguinhas!!!! Uma matéria pode estragar vidas inocentes!!! Ética e moral não faz mal viu, acreditem em mim!!!!
- Seja como for, como entendemos os manifestantes que odeiam a mídia tradicional e as vezes se exaltam, TAMBÉM entendemos as mídias tradicionais que ficam emburradinhas e se juntam pra "noticiar" uma pessoa, um policial, um político que os tenha cutucado, isto não ocorre só nos dias de hoje, este espírito de porco não existe só entre jornalistas e também não vai acabar hoje ou amanhã, mas... Hoje E amanhã, outras mídias, outros coleguinhas e pessoas comuns estão nas ruas, com capacidade para tirar fotos e fazer vídeos então, vez ou outra, um ou outro coleguinha pode acabar gerando vergonha alheia nos demais, quando, porventura, acaba desmascarada a sua "super verdadeira VERSÃO FINAL dos fatos". Isso é tão chatinho, não é mesmo? Tá que pouca gente ainda acredita nestes desvios profissionais, mas será que já não era hora deles acabarem de vez?
- As notícias acima (e todas as demais que se basearam nas versões oficiais), foram amadoras, preconceituosas, raivosas, medíocres, podres até... Mas, hoje em dia, INFELIZMENTE, ninguém se assusta ou espera algo diferente de certos veículos de comunicação, então, por mais que isto nos envergonhe enquanto jornalistas, consideramos mais do mesmo e iremos parar de tocar no assunto...
 PORÉM

A atitude suja, mal informada, manipuladora e quase criminosa da pessoa que usou das redes sociais para espalhar uma montagem de fatos, fotos e ideias, buscando proteger sua patota (dos fatos que o vídeo acima joga diversas dúvidas e traz várias certezas) e imputar todas as ações/erros a um rapaz (ativista social conhecido, tudo bem, até pq isto não é um demérito, muito pelo contrário) que na nossa opinião ERROU ao perder tempo de ir apoiar tal tipo de "manifestantes", esta atitude, sim, nos causa nojo, ainda mais quando praticada por uma senhora, professora, que, com tais atos, demonstra o tipo de aula/ensinamento que nossas crianças tem recebido...

Nessas horas/situações (se não fosse por saber que a enorme MAIORIA DOS PROFESSORES são gente de bem, gente séria e, literalmente GENTE), dá até vontade de começar uma campanha contra a greve e a favor do Governador...

Seja como for, convidamos você, que leu até aqui, a novamente assistir o vídeo, ler as matérias (nos links oficiais) e pensar mais a respeito deste caso e de outras matérias/vídeos que porventura ouviu/leu/viu/soube. E, caso algum coleguinha passe por aqui, peço humildemente a este profissional que, no futuro, se preocupe mais com a verdade (seja ela qual for) e, se não tiver algo real e verdadeiro para falar, não fale nada, dessa forma poderemos voltar, um dia, a ter o respeito e a confiança, da sociedade, no nosso trabalho... 

Sem mais... Vou ali vomitar de novo e volto em breve!!

Até mais!!






Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário