[RELATO] Manifestação dos Ambulantes Permissionários de São Paulo

Texto e Imagens: Walmor Carvalho


Há alguns dias, um artigo da Folha caiu como uma bomba ao expor as intenções do prefeito Fernando Haddad de remover os cerca de 700 vendedores ambulantes permissionários (que trabalham com Termo de Permissão de Uso, emitido pela prefeitura) do centro da Capital e realocá-los para a Feira da Madrugada do Brás.

Claro que algo assim não ia passar batido. O Sindicato da categoria, agiu rapidamente e marcou pra hoje um grande ato, que se iniciaria com uma reunião na Câmara dos Vereadores e seguiria como um grande protesto que marchando rumo à Prefeitura, para cobrar explicações e reclamar da falta de participação popular com o próprio Haddad.


Os ambulantes compareceram em peso, lotando a sala de reuniões do primeiro andar, o salão nobre do oitavo e o anfiteatro na entrada do prédio.


A assembleia do Sindicato com os vereadores ocorreu no Salão Nobre, e os que ficaram de fora acompanharam por telões que transmitiam a TV Câmara ao vivo.


Acompanhar a reunião no Salão Nobre foi interessantíssimo para se ter uma noção do cenário extremamente complexo por trás desta questão. Em resumo, algumas constatações:
  • O projeto de realocação destes ambulantes já está tramitando e está sendo avaliado sub judice, por aparentemente violar a lei municipal que regula o trabalho de ambulantes. Logo, a decisão do Haddad atropelaria o devido processo judicial;
  • Grande parte dos ambulantes com TPU são idosos ou portadores de deficiência, e não estão em condições de fazer o deslocamento até o Brás diariamente;
  • Existem forças dentro da prefeitura e das sub prefeituras não apenas para a realocação, mas para a remoção total de "todos os camelôs da cidade", (de acordo com fala do sub prefeito da Mooca mencionada durante a reunião);
  •  O Sindicato da categoria vem lutando contra ameaças de remoção e realocação desde, pelo menos, a gestão Serra;
  • Vários vereadores petistas vêm apoiando a luta dos ambulantes durante todo este tempo e não retiraram o apoio, mesmo sob risco de rachar a base do partido na Câmara. Elemento chave na reunião foi o Deputado Estadual José Américo (PT) que reforçou apoio à categoria.
E, enquanto a reunião corria, começavam a soar os apitos e batidas de lata através da janela. Eram os ambulantes do Brás e da Mooca, que acabavam de chegar para o ato. A reunião foi devidamente apressada para que todos fossem ao ponto que importava.

O protesto propriamente dito começou por volta das 11 horas, e os cerca de 800 ambulantes seguiram em passeata pelo centro. 


Fizeram uma pausa rápida em frente ao Fórum Hely Lopes Meirelles, no Viaduto Dona Paulina, onde está tramitando a parte jurídica do projeto, e seguiram em passo forte até a Prefeitura.


Lá, se encontraram com ambulantes (dentre eles, deficientes visuais) que montaram acampamento e se acorrentaram em frente à Prefeitura para exigir respostas do próprio Haddad.

O Prefeito Haddad não apareceu, mas enviou o veterano e respeitado Eduardo Suplicy.


Todos fizeram questão de que ele chegasse ao microfone e que todos fizessem silêncio quando ele falasse, e este comunicou que a Prefeitura estará aberta para uma reunião entre representantes da classe e da Prefeitura nesta quinta (18/06), às 17 horas.

E estaremos lá!

Até a próxima gente!
Share on Google Plus

About Walmor Carvalho

0 comentários:

Postar um comentário