[RELATO] Op. + Pão - Opressão

Texto e Imagens: Cristiano de Assis


Olá pra vocês!


Esta foi a minha 2ª vez na...


E está sendo minha 1ª vez encabeçando uma publicação aqui no MLI então sejam gentis comigo, tá bom?

Explicações iniciais dadas, começo contando que eu estava lá como socorrista e como fotógrafo, como GAPP e como MLI e, principalmente, como ser humano (que entende que entre um ato assistencialista ou ato nenhum, a escolha a respeito de qual opção seguir acaba surgindo de forma bastante fácil...). Juntando tudo acabei colecionando e misturando imagens, impressões e sentimentos que passo a (tentar) narrar abaixo...

Pois bem, cheguei por volta das 13h00 achando que seria o primeiro a chegar, mas, não, já haviam voluntários e bastante doações (essa quantidade das fotos abaixo, até a hora de início, quase quintuplicou... Fiquei feliz!).




Fiz o que pude e o que precisava neste momento inicial e assim fui até que os voluntários subiram para a Sé (que já estava cheia de gente esperando) e começaram a montar o local de entrega...


Local este que foi cercado com uma fitinha plástica amarela que, devo dizer que não cercou muito...

(A fita, que devia estar contendo mais ou menos 200 pessoas. 
Sou péssimo com cálculos de pessoa por perímetro.)

Continuei acompanhando (e ajudando) na formação do local de entrega e pude reparar que  algumas filas foram formadas (não sei por quem), enquanto que outros (que esperavam) ficavam "agitando" perto do local das doações. Isto me causou um certo incomodo pois era visível certa desorganização inicial onde, antes mesmo de começar, enquanto alguns voluntários pediam um pouco de calma para quem buscava obter algo, outros davam qualquer coisa pedida sem o menor pudor ou controle. Sem mais, não fosse um ou outro que quisesse e conseguia pegar algo e sair andando, tudo seguia sem grandes problemas. 
Não entendam isto como algo crítico, simplesmente era o que estava visível neste início e, como é possível ver na imagem abaixo, era difícil ocorrer de forma diferente... 

Mas o tempo foi passando...


Os voluntários foram recompondo o ambiente...


E tudo foi se acalmando...


Se organizando...



E as doações começaram a fluir com mais método e tranquilidade









As crianças foram um show a parte!


Quiseram ajudar e ajudaram na distribuição


Quiseram ajudar e ajudaram na organização


(Essa pequena voluntária aparentava ser muito mais madura e 
objetiva do que eu diria vendo apenas por sua idade. Sua tenacidade 
era notável. Nessa foto, ajuda a pequena de 4 anos a verificar se 
uma peça de roupa irá caber.)


Esperavam tranquilas...


E eram lindas!!




(Esta pequenina da foto acima tem 4 anos e é encantadora. 
Muito madura, chegou com um corte de uns 4mm de faca no dedo 
e recebeu a limpeza e curativo no local sem fazer um barulho. 
Ao final, falou que não doeu e que estava bem. Perguntei se tinha um 
adulto com ela, para levá-la ao hospital, porém não). 


Passadas e organizadas as questões iniciais, tudo foi caminhando bem até as 17h00


 (Quase 17 horas. O sol começa a se pôr e o aspecto 
da atmosfera assume uma forma onírica.)

Quando a OP fisicamente acabou...(embora eu ainda a carregue comigo neste momento em que escrevo e revejo as fotos)

Como destaques finais quero citar a Dona Luisa que foi um anjo. Trouxe todo o material que um socorrista poderia desejar e ainda prestou auxílio.  Teve um momento que ela pegou uma sacola enorme e saiu pela área da concentração recolhendo o lixo dos atendimentos e da galera que comia os lanches doados. Estou apaixonado por ela.




O Pessoal do GAPP (grupo que tenho orgulho de fazer parte)





Toda a organização, que faz de tudo para proporcionar momentos especiais para pessoas que vivem uma vida tão sofrida.



(Na foto acima, uma das voluntárias pega os dados de 
um garoto visivelmente alterado e ferido, que dizia estar 
passando muito mal) 

E foi isso...
Por hoje, deixo vocês com uma imagem amena do resgatado "Vader", descansando...

 

E vou descansar também!


Até uma próxima vez!


Share on Google Plus

About Assis

0 comentários:

Postar um comentário