Segundo ato dos secundaristas

Texto e imagens: Ribas Machado



É...
Pois é...
É sabido que não se deve ir no supermercado com fome e, como também, não se deve escrever com raiva, eu resolvi deixar o dia passar para vir colocar texto na matéria só hoje...

Borandar?

Ok!

Sinceramente, depois do fim de semana mágico/lúdico que passei cobrindo o "Ressaca Friends", se eu pudesse voltar no tempo e não ter ido neste ato, eu o teria feito, mas, como fui...

Inicialmente valem alguns registros pontuais DESTE ATO (pois quem nos acompanha sabe que buscamos trazer exatamente o que ocorreu durante cobertura)
  • PARABÉNS para a atuação das pessoas que fizeram uso da tática Black Bloc, enveloparam o ato, protegeram, orientaram (em algumas escolhas furadas de caminho que a inexperiência, dos secundaristas, levava a escolher), não quebraram nada, não começaram nada, não vandalizaram nada até pq o ato não foi atacado e aí vale (SIM) dar os...
  • PARABÉNS para a Polícia Militar que, DURANTE ESTE/O ATO, enquanto grupo/tropa, adotou uma tática de acompanhamento, digamos, correta... Que deveria ser utilizada em todos os futuros atos pró e contra o Governo (qualquer).
  • PARABÉNS para os secundaristas que, com erros e acertos, mostraram garra e disposição mesmo com tão pouca idade/experiência, isso foi bonito!! Mas, tenho que dizer que..
  • ACHEI O ATO INÚTIL! Ok teve um jogral, teve umas musiquinhas batutas, mas não vi sentido nenhum em andar até a Sé (Masp, Paulista, Consolação, Municipal, Prefeitura, Sé), acabando o ato na escadaria da Catedral... Ato longo, cansativo, cheio de pontas soltas que poderiam ter gerado problemas bem sérios (controlados, muitos deles, pelos que estavam na tática BB);
  • QUANTO ÀS TAIS PONTAS SOLTAS... Há anos eu "saí da rua", mas fica um toque do tio: Se você mocinho, se você mocinha não pretende quebrar nada por quebrar, não pretende estragar o ato fazendo alguma bobagem, não é um p2 infiltrado pra causar tumulto, NÃO CUBRA O ROSTINHO com uma camisetinha, pois além de ganhar um alvo nas costas, você cria/aumenta a tensão desnecessariamente. E SE VC PRETENDE FAZER ALGO CITADO ANTERIORMENTE, pense duas, três vezes e NÃO FAÇA!!!! Não faça pois isto irá estragar o ato e gerar violência GRATUITA que sobra pra todo mundo inclusive pra nós da mídia independente que buscamos sempre estar presente pra mostrar a VERDADE do ato e não curtimos sermos pegos no fogo cruzado atiçado sem nenhum sentido/razão por algum(a) boçal BRINCANDO de rebelde! (o que mais, o que mais... ah sim...);
  • Estou com NOJO e VERGONHA de ALGUNS funcionários da segurança da estação Sé do Metro que (seja) por despreparo técnico e psicológico para o cargo (ou pra viver em sociedade) ou (até) por puro sadismo e frustração por não ter capacidade de passar em algum concurso pra "puliça" (ou até por ter sido expulso da corporação, vai saber), fizeram uma situação facilmente contornável, MUITO MAL SUPERVISIONADA, se transformar em um caos de bestialidade e violência que sobrou pra mídia, pros moradores de rua (muitos com visíveis problemas mentais) e pros usuários do sistema em geral!
  •  QUERO DEIXAR DE PÚBLICO (o que fiz ao vivo também) meu pedido de desculpas para um funcionário gorduchinho e barbudinho da Sé que, bem na hora do furacão, surgiu gritando do meu lado, me assustou e, em função disto e da lei de ação e reação, acabei exagerando com ele...
  • E FECHANDO ESTES REGISTROS, cabe descontar (15%) o parabéns dado à PM (acima) pois quando a tropa chegou no METRO, durante o caos, alguns fardados (principal e infelizmente fardaDAS) ao invés de controlar a situação e os seguranças descontrolados, (alguns e principalmente ALGUMAS, frise-se), entraram pra festa ou só ficaram olhando e "batendo palma"... Vale registrar que outros buscaram acalmar e até tirar pessoas assustadas, algumas com idade avançada, de perto do tumulto (é como eu sempre digo, não dá pra generalizar nem a farda nem o pano na cara), mas tiveram exceções que fazem baixar a nota da PM neste relato.

E agradecimentos:
  1. Ativista Felipe Gini;
  2. Repórter Mauro Donato
  3. Página Abordagem Ilegal
  4. Observador Legal Manoel Chaves Braga
Dito/registrado/agradecido tudo isto, passemos ao relato do ato (onde irei mostrar com vídeos e fotos, ponto a ponto do que elogiei/critiquei acima):

18h00 - Chego na concentração, após caminhar pela Paulista chuvosa...


Clima tranquilo de preparativos...



Vejo alguns PMs fazendo registros para a coleção pessoal...


Faço um "brinde" tradicional (pois mídia de rua que é mídia de rua usa all star preto de couro heheheh não é Sérgião??)


 Brinco com o Observador Legal Manoel e sua capa de chuva...


Faço mais alguns registros...


E assim vai até que às 18h43 quando, após esperar a chuva passar (sem sucesso) e mais gente (com dificuldade por causa do incêndio monstruosos na Estação da Luz/Museu da Língua Portuguesa -FICAM AQUI NOSSOS SENTIMENTOS PRA FAMÍLIA DO BOMBEIRO CIVIL QUE MORREU NA FATALIDADE-) chegar, a moçada começa a se organizar para a caminhada...



Antes, porém, 18h44,  se arrumam para um...


Jogral...


Depois tomam a Paulista, se organizam, aquecem...


E saem em caminhada por volta das 18h50 (vocês leram o horário né? ok!!)


Fiz a tradicional tomada da passagem de todo o ato


Acompanhei a chegada da tropa do braço (19h00)


De manifestantes fazendo uso da tática Black Bloc


E o ato foi andando...


Com a Tropa do Braço (só) na ciclovia, e a tropa do bairro andando atrás...



Enquanto o povo da tática buscava envelopar o ato...


Ato que andava com um punhado de faixas...


E musiquinhas divertidas...



E o interessante é que entre o ato e a tropa do braço, foi feita uma linha de praticantes da tática BB, o que, sem nenhum juízo de valor, mas apenas como estudioso do assunto, devo dizer que estava perfeito e totalmente condizente com o que prega a tática...


E assim foram...

Todos caminhando uma caminhada que seria loooonga!! Ho ho ho



Eu disse que os BBs enveloparam o ato né?

Pois é...

Acompanhavam lado a lado a tropa do braço (que depois de um tempo passou a andar atrás junto com a tropa do bairro), fizeram uma linha na frente (que a pedidos foi dispersa por causa da falta de PMs na frente e por causa da faixa principal que acabou coberta) e fizeram uma linha no fim do ato...

Foi interessante, academicamente falando...



E foi seguindo... com uma tensão no ar e a Paulista vazia...


Andaram...

Andaram...


Sempre observados por coleguinhas...


Vez ou outra surgia algum resquício de outras manifestações...


Vez ou outra a moçadinha quase errava o caminho hehehe


Até que a massa ganhou a Consolação (por volta das 19h28) e olha o carro que estava cruzando o caminho "estacionado" na cara da PM (que nada fez...)


Pois é...
Feinho isto hein coleguinhas... Podem andar com a gente, chuva não faz dodói e andar é bom pra saúde!


E lá foi o ato (a viatura com os coleguinhas cansados e de açúcar, também se foi -só não se sabe pra onde-)...

20h14 chegada na Roosevelt...


20h37 Saem da Consolação (aqui a tropa do braço já estava junto com a tropa do bairro (andando no fundo)


20h52 Chegam no Municipal


20h57 Prefeitura


Pelo caminho, alguns, EXAGERADAMENTE fãs de literatura, deixam "duas pedras no meio do caminho".



Mas a vida e o ato segue e  vai andando, até começar a chegar na Praça da Sé às 21h09 (lembram que saímos em caminhada às 18h50 né? Ok!) e...


Ter seus membros se acomodando na escadaria da Catedral por volta das 21h12


Alguns gritos, poses pra foto e, de lá, ato findo, nada mais a se fazer (e cá entre nós, quase nada realmente feito), a molecada, sem combinar, meio que graças ao "poder da massa" resolve fazer uma molecagem e, então...

Bate 21h20 e...


Isto normalmente não gera boa coisa, mas (vocês ouviram/viram também) por 5 minutos, ninguém voltou correndo/fugindo, e nenhum barulho de tumulto vinha de dentro da estação...

Fora isto, a PM já estava se retirando... (21h25)


Tudo calmo, ato findo, mas algo me dizia que era melhor dar mais uma conferida, aí...

21h28 e lá vai a besta que vos fala/escreve, pra dentro da estação...

Onde, segundos depois de eu chegar, o CAOS impera graças, em grande parte, à má supervisão do supervisor...


Que PARECIA estar mais preocupado em testar seus poderes do que controlar a situação...

Com isto, pudemos ver vários atos de selvageria, despreparo, destempero, descontrole (5 ou 6 "armários" batendo com cassetetes em pessoas já no chão, equipamentos de jornalistas quebrados, adolescentes sendo arrastados pra fora da catraca, jornalistas/fotógrafos/mídias -outros, pois eu, de certa forma busquei- sendo ameaçados de graça e tendo que respirar o mau hálito do sujeito que não perdia a chance de vociferar seus traumas e frustrações pra qualquer pessoa, usuário, jornalista, morador de rua e também manifestante que olhasse pra ele... E até, seus supervisionados fazendo, revistas pessoais em pessoas...) Cúmulo do cúmulo...

Acham que estou exagerando?

Vejam vocês mesmos...

Lembrando que, como eu disse, tudo começou instantes depois de eu descer, por volta das 21h30 (ou seja, se vocês verificarem os horários, cerca de 10 minutos DEPOIS da maioria da molecada pular a catraca, portanto, muito embora tenha ocorrido tal molecagem desnecessária, o surto da segurança foi totalmente fora de propósito/tempo e gerado em grande parte pelo fato de possivelmente os mocinhos terem ficado emburradinhos por isto ter ocorrido no turno deles, aí como não dava pra voltar o tempo, e evitar a molecagem dos secundaristas, resolveram descontar a frustração em quem cruzou seus caminhos DEPOIS)...


Como o fotografo, devidamente identificado, que só estava trabalhando até ter seu caminho cruzado pelo Supervisor (conforme aparece no meu vídeo acima e, mais próximo, no excelente registro abaixo, feito pelo Mídia Gustavo Garcia):



 E outras vítimas registradas pelo Observador Legal, Sr. Manoel Chaves Braga


Isto acabou me fazendo perder a imparcialidade pois, muito embora eu já estivesse horrorizado com muita coisa que vi (coisas que, ainda bem, não consigo me acostumar) e com a atitude profissional da segurança, de certa forma, isto não é novidade e era razoavelmente esperado, ou seja, molecada fazendo molecagem e seguranças despreparados/assustados/descontrolados tentando evitar, mas tudo piorou, e aí não consegui mais me segurar, qdo ele (supervisor) e alguns COMPARSAS (não me vem outro termo), não felizes em "tocar o terror" dentro das catracas, passam por elas e vem BUSCAR mais ação/confusão no lado de fora...

Aí por volta das 21h33 a razão do meu vídeo ter ficado sem imagem se deve a eu ter visto uma cena que me enojou, qual seja o Supervisor empurrar um morador de rua que, por acaso, simplesmente estava parado (perdido mentalmente naquela confusão) no caminho da "autoridade", aí foi demais e isto fez com que eu fosse (sem pensar muito, é verdade) tirar satisfações com o sujeito...

Por sorte um mídia da Página "Abordagem Ilegal" captou este momento (e por estar focado na minha cena, acabou não vendo outra tempestade se aproximar por trás, o que lhe gerou alguns hematomas), vejam:

 
Triste né? Mas ainda piora quando vocês conseguem ouvir o supervisor falando no seu dialeto, querem ouvir??

Então vejam a tomada feita pelo coleguinha Mauro Donato (que na hora eu não reparei, mas como vocês devem ter visto no vídeo acima, ficou todo o tempo atrás de mim, filmando e me dando apoio... Por estas e outras que nos chamamos de coleguinhas, pois os "linhas de frente" não correm ou largam um colega na mão, tudo bem que não deixam de filmar pois nunca se sabe qdo virá o furo heheheh, mas, estão sempre de olho e apoiando, ao contrário de uns poucos que ficam cobrindo tudo com uma viatura estacionada cruzando a Paulista, com medinho de chuva e de povo...):


Para quem não entendeu o dialeto, segue transcrição do diálogo (tá, eu forcei em chamar isto de diálogo) com o sr. supervisor da segurança da estação Sé do Metro de São Paulo:
Bonito bater em morador de rua né?
- "Vai tomá no cu"
Machão, com tonfa e amiguinhos!!
- "Vai se fode"

Poxa!
- "Vai seu bosta do caralho"

(Nisso eu segurei o guarda chuva que estava com o cabo no meu ante braço -pra não sair voando-, o SUPERVISOR olhou -reparem que ele olha pra baixo- e começou a falar refletindo o que ele tinha na cabeça)

- "Vai, dá nimim? Dá!"
O que?
- "Dá nimim!"
Por que?
- "Dá caralho!" 
O que?
- "Seu bosta"
(aí chegou um de mais idade e o Sup. enfiou a tonfa no... Cinto e saiu andando pra empurrar mais crianças e moradores de rua)
Batuta né?

Este é o sr. Supervisor "dá nimim"...

Mas, enfim, adrenalina a mil, chegou o sujeito mais velhinho (que deve ser chefe do Sup.), e o "dá nimim" saiu andando. Eu, ainda com a adrenalina a mil, comecei a falar com o velhinho, que parecia ser o chefe geral (afinal bastou ele chegar pro "dá nimim" abaixar a orelha e sair de perto sem o velhinho precisar falar nada) e o papo ia bem até eu receber um puxão (pelo ativista Felipe Gini -OBRIGADO NOVAMENTE-), virar e ver que a PM já estava enchendo e tomando a estação...

Momento (que vocês não viram, mas ouviram no vídeo da Página "Abordagem Ilegal") em que eu busquei me orientar geograficamente, "guardar as costas" e sacar rápido a situação, mas o que saquei foi podre, aí como (repito) a adrenalina estava a mil, não me contive e acabei voltando pra dentro do furacão, buscando ajudar a tirar pessoas que estavam sendo massacradas por seguranças e FARDADAS gorduchas... (ISSO NÃO FOI HEROÍSMO, foi pura burrice, ação burra sem pensar! Mas acho que faria de novo, pois ainda sou um ser humano que sente nojo de covardia e atitudes -quase- criminosas, pro azar do meu anjo da guarda).

Um pouco desta parte pode ser visto no final de uma compilação postada em um vídeo editado do Jornalista Mauro Donato.

E outro tanto, neste outro vídeo do canal Ação Direta de Vídeo Popular - ADVP.

E muito pode ser visto no vídeo captado pelo povo do Democratize, especificamente os coleguinhas Fernando DK e Felipe Malavasi (reparem principalmente a partir do 1'08" quando eu volto pro furacão e por volta do 1'29" quando passa o coleguinha da Página "Abordagem Ilegal" correndo e gritando socorro -que pode ser ouvido no vídeo deles, publicado acima-)


Deve ter muito mais, pois tinham muitas câmeras e celulares (e muitos aparelhos saíram ilesos -ainda bem-), se aparecer eu jogo aqui também... Mas com os vídeos nossos e os gentilmente cedidos pelos colegas, vocês podem ver toda a sequência ocorrida na Sé (seja ouvindo uma parte sem vídeo em um, seja vendo o que aconteceu naquele mesmo momento em outro ângulo/vídeo...)

Bom...

Voltando ao relato, o relógio já marcava 21h40 estação acalmada/controlada...


Uns poucos manifestantes gritando mas, até pela presença maciça da PM, não sendo agredidos pelos supervisionados e seu supervisor! (como se pode ver nos dois vídeos abaixo captados pelo Observador Legal, Sr. Manoel Chaves Braga)



E, enfim, como tudo parecia finalizado/finalizando neste pós ato/molecagem/barbárie supervisionada...

Segui pra casa com vontade de vomitar, pois nunca me acostumo em ver seres humanos agindo como feras irracionais...





Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário