Vandalismo Estatal em favor do aumento da tarifa!

Texto e Imagens: Ribas Machado, Regis Collins e Walmor Carvalho



Ah se arrependimento matasse, nunca teríamos elogiado a postura da PM (no último ato dos secundaristas), até pq quanto mais atos acontecem o que se vê é que não existe uma "PM", para se elogiar/criticar (enquanto grupo/coletivo/"ente"), que erra ou acerta conforme pensa e escolhe a forma de atuação com liberdade, discernimento e coerência... 

Não existe uma "PM" que merece elogios ou críticas (existem PMs/Pessoas que usam farda e que, estes sim, merecem elogios e críticas ao ousar pensar e agir como seres humanos -ou monstros- que são).

Não existe uma "PM" que conhece/respeita/segue (ou desconhece/desrespeita/ignora) cegamente a Constituição da República Federativa do Brasil, alias quando vemos a "PM", NAS MANIFESTAÇÕES, a única comparação possível (e fácil) de se fazer, INFELIZMENTE, é com um animal (no caso, animal humano) adestrado que, ao receber a ordem, deixa os estranhos passarem a mão em suas cabeças ou tirar selfies ao seu lado mas, se no segundo seguinte a ordem for mudada, sem pensar ou discutir sua legalidade, morde e destroça quem em sua frente estiver...

Isto é triste! 

É realmente MUITO TRISTE ver seres humanos, pais/mães e filhos/filhas de família, que um dia já foram bebes gorduchos, crianças felizes, que vão ao banheiro, sangram, espirram, pegam gripe enfim, hoje, para não perder um salário de fome, se submeterem a toda e qualquer ordem dada por alguém que a recebeu de outra pessoa que, por sua vez, recebeu de alguém que (se bobear) nunca vestiu uma farda, ganha salários de fartura e fica tendo "ideias geniais" dentro de uma salinha com ar condicionado e um monte de aspones.

Quando pensamos a respeito, a vontade que dá é de dar os parabéns para o autor ou autora daquela "musiquinha de ordem" que diz algo mais ou menos assim:

"Que vergonha, que vergonha deve ser
Que vergonha, que vergonha deve ser
Reprimir trabalhador
Pra ter o que comer
Que vergonha, que vergonha deve ser"

A pessoa que uniu estes versos realmente é uma artista e conseguiu captar/resumir tão bem a situação.

E somando tudo, tudo fica pior pois colocar SERES HUMANOS neste cumprimento de ordens sem pensar, sendo praticamente forçados a cometer barbaridades, acaba desumanizando a tropa e gerando muitos problemas psicológicos nos soldados, isso quando não ocorre de um ou outro resolver pensar/ponderar/colocar tudo numa balança e enxerga o que realmente tem feito. Aí...

  • Vale um registro aqui no sentido de que não estamos falando daqueles policiais infantilizados, aculturados e inseguros que saem pra manifestação sonhando com um confronto para poder descontar nos outros as violências que covardemente sofrem calados na mão de "outros outros",  também não estamos falando dos criminosos que se escondem atrás de uma farda, não! Nada disto, o texto aqui diz respeito ao grupo fardado que age, "corretamente", como tal e, não, àqueles infiltrados no grupo que cometem toda uma gama de violências e crimes. ESTES não são a "PM", estes não são policiais militares... ESTES SÃO MONSTROS, SÃO CRIMINOSOS COVARDES e DOENTES da pior espécie que, "por acaso" vestem farda e...
 infelizmente, 
desta farda não são arrancados pelos demais...

Mas o foco aqui não está nestes últimos, o foco aqui está na "PM" (enquanto grupo/coletivo/"ente") que, ontem, vandalizou, violentou uma manifestação (e seus manifestantes) que estava maravilhosa e lotada de pessoas (mascaradas ou não) que só queriam exercer seu direito constitucional contra mais um ato de "políticos e suas politicagens".

E, afinal, pq aqui e, não, no Relato do evento onde tudo isto ocorreu? (alguém desavisado poderia perguntar)

E a resposta é simples... Fizemos (desta vez) tal opção, pq entendemos que o ato estava tão cheio e tão bacana que, seu relato, não mereceria conter tal podridão.

Antes, vale lembrar que o Ribas, após acompanhar de trás e filmar de longe (sem saber) a massa indo pro abate (muito provavelmente já idealizado pela "PM" devidamente posicionada)...


 Deu a volta, alcançando o ato (MUITO) pouco depois do início do vandalismo estatal



Enquanto o Regis C. e o Walmor, por sua vez, que estavam caminhando na frente/junto do ato acabaram acompanhando e sofrendo todo o início da bestialidade...


Vale citar que em função destas posições distintas, cada um seguiu/viu/ouviu/se enojou com coisas/momentos distintos...

Pois bem...

Vamos ao registro de ontem...

Por mais que, graças à cobertura medíocre (preocupada com anunciantes) feita (muitas vezes) por muitos coleguinhas, a manifestação pudesse trazer medo em alguns...


Por mais que a "PM", durante a concentração (mesmo com a presença do Ouvidor Estadual), seguindo ordens de quem recebeu ordens daqueles que foi ordenado a ordenar, tenha incomodado e pressionado o ato...





 A grande verdade era a de que o ato estava lindo


 Maravilhando todos que estavam em seu caminho...


Tanto que do início da caminhada...


 Até a chegada/saída do Anhangabaú, ele (ato) quadruplicou de tamanho...


E assim foi...


Tudo correndo bem...

Pra tristeza dos governantes que acharam que aumentar as tarifas no começo do ano seria uma ideia genial pois pegaria todo mundo desprevenido...


Até que...

Por volta das 19h19 (segundo o Walmor que -junto com o Regis C-, feliz/infelizmente estava na hora certa no lugar "errado"- e muita gente que foi cruzando o nosso caminho e relatando mais e mais detalhes) vimos/soubemos que...

A linha de frente da manifestação começou a passar pela mureta que divide as duas pistas da avenida, buscando/tentando, com isto, ocupar as duas faixas da avenida...

Neste vídeo da Ativista Rebeca Lerer vocês podem ter uma ideia (mesmo que filmada de longe) de como/quando tudo começou...

Este foi o "crime" cometido, qual seja, manifestantes, tentarem se manifestar...


Porém  tal situação e, com ela, tal novo "olé" dado na "PM" fez com que esta emburrasse e parasse de "brincar", iniciando todo um processo para, INICIALMENTE (poucos segundo), empurrar os manifestantes de volta pra outra pista, com bombas de efeito moral, latas de gás lacrimogêneo e balas de borracha, processo este que, rapidamente e conforme chegavam mais tropas (curiosamente posicionadas próximas do local) passou a ser um processo de destruição da manifestação...


Processo este que pode ser melhor avaliado pelos magníficos vídeos:




  • E o segundo, captado pelo Prata da casa Regis C. (que, como o Walmor, seguia na frente do ato):


A população olhava horrorizada...


Ou sofria gratuitamente...


E como era de se esperar (ou torcer no caso dos que deram a ordem inicial e sonhavam com imagens para estampar em certos telejornais noturnos que falam qualquer coisa que permita garantir os anunciantes estatais), alguns manifestantes, por sobrevivência ou ódio mesmo, REAGIRAM, RETRUCARAM com pedras, com as próprias latas de gás atiradas pelos policiais e com o que tinham ou aparecia pela frente...

Outros buscavam, romanticamente, TENTAR retardar o avanço bestial e gratuito daquele bando fardado e, para tanto faziam barricadas queimando sacos de lixo...

 




Barricadas estas rapidamente apagadas por profissionais também posicionados na região...


E assim foi o início do vandalismo estatal que destruiu uma...

Manifestação

Que começou pacífica e assim seguiu enquanto durou!!

Acabou?

Só a manifestação...

Pois a baderna estatal, só estava começando...

O Metrô Anhangabaú foi fechado...

As pessoas que saíam do Terminal bandeira foram sufocadas pelo gás e espancadas pela polícia quando tentavam buscar algum refúgio e eram "confundidas".

Vários dos manifestantes que subiram a escadaria ao lado do Shopping Light, para chegar de volta ao Teatro Municipal, foram recebidos por uma nuvem de gás lacrimogêneo e bombas.

E, nas ruas paralelas, a Rocam empreendeu verdadeira caçada aos manifestantes, buscando assim, evitar qualquer tipo de reagrupamento e continuidade da manifestação...




Na Praça da Republica alguns dos caçados, tentavam fazer barricadas de lixo, enquanto muitos outros (adultos, jovens e até crianças) aproveitavam para atravessar a praça e tentar fugir daquela bestialidade, sumindo pelas ruas laterais. 


Nós, por outro lado, conforme andávamos pelo Centro de São Paulo, facilmente podíamos achar/ver pânico, dor, gente machucada, assustada, perdida, detida...



E muitos focos de revolta/resistência...



Alguns só de revolta, é verdade...

Como, por exemplo, no acesso à Praça Roosevelt...


Alias, por falar na Praça...



Por lá...

A Tropa de Choque, empolgada com seus escudos recém-pintados e os novos blindados israelenses, disparava suas armas para o nada enquanto faziam um arrastão com uma "linha de escudos" e "prendias" o "suspeito padrão" vestido com roupas escuras.


Enquanto isto tudo ia ocorrendo, era possível ver a todo momento a caçada histérica que continuava pela região central de SP, com carros, motos e caveirões passando pra lá e voltando pra cá, sempre com as sirenes ligadas e andando em alta velocidade...


Pelo caminho chegavam mais e mais notícias de feridos, tentativas de reagrupamento na Avenida Paulista (brutalmente massacradas), detenções e, vez ou outra, alguma notícia boa de que este ou aquela coleguinha havia sido vista e estava bem...

Este episódio grotesco (como deve ser quem o maquinou e ordenou) durou por volta de quase três horas...

Sim... Era mais de 22h00 (a manifestação original já teria acabado com toda certeza) e no caminho pra Paulista ainda se cruzava com viaturas em grupo "correndo" pra lá e pra cá...

E tudo isto pq???

Pq os manifestantes quiseram se manifestar ocupando PACIFICAMENTE duas pistas de uma avenida...

Aí cabe pensar...

Será que se tirássemos a "PM" desta história, alguma violência contra pessoas ou coisas teria ocorrido até o fim do ato???

Não sabemos, mas se tivesse ocorrido, saberíamos a quem culpar, da mesma forma que ontem o culpado de todo o tumulto, toda a baderna, todo o vandalismo é MUITO CLARO...

ALIAS 
(corrigindo)

O Verdadeiro culpado 
(quem deu a ordem primeira), 
este, em verdade, permanece nebuloso...


 Até a próxima...








Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário