49 anos de "A Princessa e o Cavaleiro"

Coluna: Machadadas
Autor: Ribas Machado
Imagens: Colhidas na internet


(Linda homenagem feita por Maurício de Souza, em fevereiro de 1989 
quando da morte do amigo Osamu Tezuka)


Não é segredo pra ninguém (que me conhece há décadas) que ando enojado e cansada do cenário político social brasileiro (por isso que tenho escrito muito pouco a respeito) e que eu amo a cultura oriental, como um todo (filosofia, artes marciais, religião, mitologias, mangás, animes, filmes -em especial os de terror-), e quando puxo pela memória, vejo que o que primeiro que me chamou a atenção para esta cultura foram três desenhos animados (animes) que assisti na infância e, neste trio, um deles fez aniversário de 49 anos no dia 02 de abril.

Confesso que quase passou em branco tal data mas graças a um papo muito batuta com um fã que encontrei/conheci por acaso, ontem, em uma loja, de toy art, de um grande Shopping aqui de SP, remexi minhas coisas quando cheguei em casa, fucei um pouco na net (sempre na esperança de achar alguma dublagem perdida)  e reparei a gafe. O que me fez resolver fazer este post para resgatar a memória deste anime que até hoje mexe comigo, quando resolvo rever algum episódio para "distrair" (aspas pq a história e, nela, muitos episódios são ou possuem assuntos/temas perturbadores) e, que é tão desconhecido/ignorado pelas novas gerações...

Me refiro ao anime de Tezuka Osamu...

 "Ribbon no Kishi
(no Brasil: A Princesa e o Cavaleiro).

No anime, o Príncipe Safire, da Terra de Prata que, na verdade, era uma garota, filha única, criada e disfarçada como sendo um menino, pois somente homens poderiam herdar o trono, vivia inúmeras aventuras e dramas tentando proteger sua identidade, sua linha sucessória e, até mesmo, sua Terra de Parta, contra os mais diversos e super realistas perigos. 


Só esta trama já daria bastante enredo, mas não para aí, pois além desta questão a menina Safire, por causa de uma brincadeira feita por um anjinho chamado "Ching" (Tink no original), nasceu com a mente de um menino e o corpo de uma menina (detalhe que estamos na década de 60).  

Obs: Aqui vale citar que no Mangá/quadrinho Ching dá, por acidente, ao bebe Safire dois corações, um de menino e outro de menina mas voltemos ao anime.
Pois bem, depois de uma bronca de Deus, Ching tem que vir a terra resolver o "problema" e devolver a Safire sua mente de garota. Mas, diante das circunstâncias, intrigas, traições e perigos que envolvem o dia a dia da menina, o pequeno anjinho decide deixar tudo como está e assume o papel de protetor e melhor amiguinho de Safire.

Basicamente este é o enredo do anime mas, acreditem, esta história (com 52 episódios, de mais ou menos 30 minutos cada), embora seja considerada como a primeira história, a historia inaugural do estilo Shōjo, shojo, ou shoujo (estilo voltado especialmente para "pequenas meninas"), tem momentos perturbadores, mortes, torturas, traições, achaques da população, guerras, questões políticas intrincadas, questões religiosas isto tudo e muito mais, fora a própria discussão que pode ser levantada com a questão de mente e corpo ou dois corações...


E boa parte destas questões perturbadoras são alinhavadas na trama com auxílio dos caricatos (embora cruéis e sem nenhum escrúpulo -até para padrões de filmes de terror-) vilões principais Duque de Duralumínio e Sir Nylon que...


Sozinhos ou em conjunto com outros vilões como o próprio Satã...

Tentam de tudo para destruir (matar até) Safire, sua família, seus amigos e tomar para si a Terra de Prata.

É meus caros e minhas caras (com um ou dois corações), este anime é sensacional!! E merece muito ser conhecido ou revisitado. Estou com alguns planos a respeito disto, mas por enquanto, fiquem com detalhes da ficha técnica da versão original e da brasileira...
Obs: Alias, quanto a versão brasileira, segundo lendas (que ainda não comprovei/comparei), existiu realmente uma "versão brasileira" pois, se lembro bem o que me contaram muitos anos atrás, os scripts foram perdidos e os dubladores tiveram que improvisar nas falas/scripts criados por Gilberto Baroli (que um dia ainda quero muito entrevistar) e, acho, mudando até o rumo de algumas histórias (prometo que irei atrás de algumas fontes e investigarei isto melhor).

Borandar?

Ok!!

Pois bem, o anime que foi ao ar inicialmente em 02 de abril de 1967 (e teve o último episódio exibido em 07 de abril de 1968) foi criado e teve a direção executiva do gênio Tezuka Osamu.

  • Ganhou vários títulos alternativos/traduções, tais como:

Princess Knight (EUA)
Choppy und die Prinzessin (Alemanha)
Choppy y la Princesa (Espanha)
La Princesa Caballero (alguns Países de idioma espanhol)
Las Aventuras de Chopy y la Princesa  (alguns Países de idioma espanhol)
Prince Saphir (França)
Princesse Saphir (França)
Princesa e o Cavaleiro (Brasil)
Principessa Zaffiro (Italia)
リボンの騎士 Ribbon no Kishi (Japão)


Teve como...
  • Elenco (de dubladores) original (fonte):
Sapphire: Toma Yumi
Sapphire as a girl: Toma Yumi
King: Maruyama Eiji
Queen: Yamada Miho
Duke of Duralumin: Chahurin
Sir Nylon: Kakegawa Hirohiko
Prince Franz: Miyata Koki
Tink: Kumagai Nina
Uranari:Sakurai Toshiharu
Boy:Yamada Miho
Killer A:Miyazono Takehiro
Killer B:Sakurai Toshiharu
Killer C:Kakegawa Hirohiko
Girl A:Kawaragi Shiho
Girl B:Kumagaya Nina
Lady:Kumagaya Nina
 
  • Elenco (de dubladores) brasileiro (fonte):
Neusa Tavares: Princesa Safire (Cinecastro-1ª voz)
Antonieta Matos: Princesa Safire (Cinecastro-2ª voz)
Maralise Tartarine: Princesa Safire (Cinecastro-apenas um episódio/Televox)
Ivete Jaime: Princesa Safiri

Míriam Thereza: Ching (Cinecastro-1ª voz)
Cordélia Santos: Ching (Cinecastro-2ªvoz/Televox)
Aliomar de Matos: Ching (AIC)

Domício Costa: Rei (Cinecastro)
José Carlos Guerra: Rei (AIC)
Carlos Leão: Rei (Cinecastro- um episódi)

Sônia Moraes: A Rainha (Cinecastro)
Sandra Campos: Rainha (AIC)
Elza Martins: Rainha (Cinecastro-um episódio) 

Siomara Nagy: Príncipe Franz (AIC- 1ª voz)
Zezinho Cutolo: Príncipe Franz (AIC-2ª voz)
Carlos Marques: Príncipe Franz (Televox-um episódio)
Henrique Ogalla: Príncipe Franz (Cinecastro/Televox) 
Paulo Pinheiro: Príncipe Franz (Televox-um episódio)

Milton Luís: Duque Duralumínio (Cinecastro-1ªvoz)
Paulo Pereira: Duque Duralumínio (Cinecastro-2ªvoz)
Waldir Guedes: Duque Duralumínio (AIC)

Ari de Toledo: Nylon (Cinecastro-1ªvoz)
Carlos Marques:  Nylon (Cinecastro-2ªvoz)
Dráusio de Oliveira: Nylon (AIC)

Domício Costa: Plástico (Cinecastro)
Mara di Carlo: Plástico (Cinecastro-um episódio)

Gilberto Baroli: Satã (AIC-1ª voz)
Mário Jorge: Satã (AIC-2ª voz)
Pádua Moreira: Satã (Televox-um episódio)
Paulo Pinheiro: Satã (Televox-um episódio)
Domício Costa: Satã (Cinecastro)

Sônia Moraes: Heckett (Cinecastro)
Mara di Carlo: Heckett (Televox)
Rita Cleoci: Hecket (AIC) 

Chico Borges: Garigore/Vespertino (AIC-2ª voz)
Domício Costa: Garigore/Vespertino (Cinecastro)
Marcelo Gastaldi: Garigore/Vespertino (AIC)

Pádua Moreira: Dr.Oranari (Cinecastro)
Paulo Pinheiro: Dr.Oranari (Cinecastro-um episódio)
Sônia Moraes: Criada (Cinecastro)Helena Sâmara: Criada (AIC)

Potiguara Lopes: Senhor Camponês (AIC-Epis.1)

Ari de Toledo: Locução (Cinecastro)
Chico Borges: Locução (AIC)
Domício Costa: Locução (Cinecastro)

E, lhes confesso que teria (e tem) muita coisa pra dizer, inclusive sobre os episódios mas, por enquanto, paro por aqui, deixando este registro e prometendo que, se arrumar tempo trarei uma surpresa (que eu acho) batuta, para quem curte este anime ou para quem ficou curioso... Aguardem, torçam e, por enquanto, fim...


Ah!! Antes que eu me esqueça, tem quem faça cosplay dela... Só falando... la la la tsc tsc















Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário