Colonia Dignidad (2015)

Coluna: Machadadas
Autor: Ribas Machado


Enquanto o mundo Geek discute o tom de pele da nova Hermione, eu resolvi gastar meus pensamentos e opiniões assistindo, ontem, o "novo" trabalho de Emma Watson... "Colonia" (no Brasil: "Amor e Revolução" -mesmo nome daquela novelinha do SBT sobre a Ditadura no Brasil-).

Bom, o que achei, gostei, não gostei? Comecemos com um...


Resumo

Pois bem, inspirado em fatos reais, este filme usa da história (romântica até) de Lena, aeromoça, (Emma Watson) e Daniel, ativista político, (Daniel Bruhl), um jovem casal de alemães, que se reencontra, no Chile, dias antes do golpe militar chileno de Augusto Pinochet, em 1973. Daniel é capturado pela polícia secreta de Pinochet e Lena segue a procurá-lo, até descobrir que ele estava em uma área no Sul do país, chamada "Colonia Dignidad". A Colonia se define como uma missão de caridade, dirigida pelo pastor Paul Shafer (Michael Nyqvist), mas na verdade é um lugar do qual ninguém escapa. Lena então decide se filiar a esse obscuro e misterioso culto para poder encontrar (e salvar) Daniel.


Curiosidades

  • Foi filmado no Chile, Luxemburgo, Alemanha e Argentina (fonte: imdb.com.br); 
  • Este é o segundo filme que Emma Watson fez sobre seitas/cultos perigosos, o primeiro foi o filme "Regressão" de 2015 (fonte: imdb.com.br); 
  • O ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, anunciou em 26 de abril de 2016, que arquivos secretos sobre Colonia Dignidad serão tornados públicos (fonte: Terra.com.br);
  •  Colonia Dignidad foi estabelecida em 1961 por colonos alemães liderados por Schäfer. O ex-suboficial nazista transformou o lugar, 350 quilômetros ao sul de Santiago, numa espécie de seita, onde praticava pedofilia e onde ninguém podia entrar nem sair sem sua autorização (fonte: Terra.com.br);

  • Durante a ditadura militar no Chile, entre 1973 e 1990, o enclave foi utilizado como centro de detenção ilegal, onde se praticou tortura e se assassinaram opositores do regime. Colonia Dignidad também serviu como depósito de armas e reduto de trabalho infantil escravizado (fonte: Terra.com.br);
  • Steinmeier admitiu que, na época, o governo alemão não fez o suficiente para ajudar as vítimas da comunidade chilena – hoje chamada Villa Baviera. "Esse é um capítulo obscuro da história da diplomacia alemã, e é evidente que os diplomatas alemães fizeram muito pouco para proteger as pessoas que tentavam escapar dos maus-tratos", afirmou (fonte: Terra.com.br);
  • A colônia alemã no Chile foi palco de crimes que vão desde abusos sexuais de menores a tortura de opositores da ditadura de Augusto Pinochet;
  • Segundo dados da Anistia Internacional, 119 presos políticos foram mantidos presos na Colonia Dignidad, muito deles foram torturados e mortos.
  • O território da ex-seita alemã no Chile, hoje, se transformou em um Centro Turístico chamado “Villa Baviera”, onde se pode, agora, comer, dormir ou dirigir jeeps de tração nas montanhas dos Andes (fonte: mamapress); 
  • Emma Watson visitou  a "Villa Baviera" em setembro de 2014. Boa parte da mídia, na epoca, pensou/anunciou que ela apenas estava passeando de férias. Mais tarde descobrira verdade ela estava fazendo 'laboratório"/pesquisas para o papel (fonte: imdb.com.br); 
  • Quem quiser mais detalhes a respeito da historia real, pode ler está matéria ou assistir a este documentário do youtube muito bacana (e pesado);

Impressões

Bom, já de cara, vale dizer que, como filme que trata da ditadura de Augusto Pinochet, no Chile, "Colonia" (2015) está muito aquém do ótimo (vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado -adaptação do livro de Thomas Hauser-) filme de Costa-Gavras, "Missing – Desaparecido" (1982), mas, pro meu gosto, esta muito além do enrolado, arrastado e chato filme de Pablo Larraín, com Gael García Bernal, "No" (2013).

Mas aí entramos em uma outra análise que nos faz concluir, com tranquilidade, que este filme não é um documentário e quando se conclui isto, tudo fica mais fácil de aceitar. Até o final que tanta gente compara com o filme "Argo" (2012) pois, quando vemos que, embora inspirado em fatos reais, este filme não conta uma história/passagem verídica, nem narra a história de pessoas reais, fica mais fácil aceitar, entender e gostar (muito) desta experiência que, do seu jeito, mostra com detalhes os horrores da "Colônia Dignidad" e da Ditadura Chilena.

Tá, aceito que, em tese, o filme poderia ser melhor produzido mas, por outro lado, eu não sei dizer como, até BOA PARTE dos seus "defeitos" são importantes para mostrar o que ele (filme) deseja, para conseguir chegar no objetivo primeiro da obra que é (repetindo) mostrar os horrores cometidos por lá (Chile) por chilenos e ALEMÃES!

Eu até posso estar supervalorizando este filme, mas confesso que há tempos eu não me incomodava tanto com cenas de tortura, com cenas como a da prisão do casal, ou a cena no estádio (que não vou contar pra não estragar) o clima tenso que o filme consegue trazer em várias ocasiões realmente te coloca dentro dele (filme). Ao mesmo tempo eu confesso que acabei de ver o filme e já corri a pesquisar sobre a "Colonia", o que me deixou mais incomodado e dando mais mérito ao filme...



Ok, ok o final é super boboquinha e inverossímil, ainda mais levando em conta que era uma Ditadura numa republiqueta de bananas, mas como ele só serviu para o que finais normalmente servem, ou seja, dar um desfecho à trama, dá pra desconsiderar...

O que mais, o que mais? Ah sim! as atuações estão muito boas e (acho que já deu pra entender, mas vale reforçar que) eu aconselho muito este filme, principalmente para que vocês conheçam algo que existiu na vida real (infelizmente) e teve várias facetas e variações, inclusive aqui no Brasil onde tivemos, por exemplo, o Manicômio de Barbacena - MG que, embora não tenha sido a sede de uma seita, e (acho) não tenha alemães/nazistas envolvidos (aleluia irmãos) serviu para o mesmo propósito da "Colonia Chilena", como vocês podem ver no documentário "Holocausto Brasileiro".

Concluindo digo (o que vocês já repararam, ou seja) que este filme mexeu muito comigo (o que eu adoro, frise-se!!).




Ficha técnica

  • Direção: Florian Gallenberger  
  • Produção - Christian Becker, Benjamin Herrmann, James Spring, Nicolas Steil e Patrick Zorer
  • Roteiro: Torsten Wenzel e Florian Gallenberger
  • Música - André Dziezuk e Fernando Velázquez
  • Fotografia - Alex Aach 
  • Distribuição - Universal Pictures
  • Estreia - 13 September 2015  no  "Toronto International Film Festival"
  • Duração -110 mins
  • Idioma - Inglês e espanhol
  • Elenco -
     Emma Watson     ... Lena
     Daniel Brühl     ... Daniel
     Michael Nyqvist ... Paul Schäfer
     Richenda Carey     ... Gisela
     Vicky Krieps     ... Ursel
     Jeanne Werner     ... Doro
     Julian Ovenden     ... Roman
     August Zirner     ... Embaixador Alemão
     Martin Wuttke     ... Niels Biedermann
     Nicolás Barsoff ... Jorge
     Steve Karier     ... Bernd
     Stefan Merki     ... Rudi
     Lucila Gandolfo ... Médico da Colonia
     Marcelo Vilaro     ... General Pinochet
     Johannes Allmayer ... Dieter
     Gilles Soeder     ... Kurt
     Oscar Ali Garci ... Interrogador   
     Katharina Müller-Elmau, Paul Herwig, Etienne Halsdorf, Jules Waringo, Johannes Frolich, Lauren Jane Pringle, Alexia Moyano, Lydia Stevens, Natalia Señorales, Melania Lenoir, Justina Bustos, Pietro Gian, Iván Espeche, Gastón Filgueira, Martine Conzemius,
Cuco Wallraff, Pedro Merlo, Lalo Rotaveria, Carlos Alejandro Lopez, Jose Antonio Coello Porras, Stephan Szasz, Edgar Moro, Jasper Timm, Rouven Blessing, César Bordón, Herbert Forthuber, Éric Gigout e Ariel Nuñez Di Croce.

Até a próxima!!

Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

1 comentários: