CCXP 2016 (dia 1)

Texto e imagens: Ribas Machado




Confissões iniciais:
  • Hoje é dia 05 de dezembro de 2016, e os próximos dias serão postados a partir de hoje (ok, isso é meio óbvio, mas... Tudo pela verdade!);
  • Sim, como vocês podem ver, no pequeno exemplo abaixo, em alguns momentos o "Ribas Fã", tomou conta do meu corpo... Alias, até que consegui controlá-lo bem... Era para ter sido "muito pior", dada a grandiosidade do evento e a qualidade das atrações!!

  (Eu e... Vocês sabem!)


                       (Eu & Tsutomu Nihei)                                      



Observações/críticas construtivas gerais (dos quatro dias):
  • Inegavelmente FOI   ÉPICO!  (mas...)
  • Definitivamente a CCXP (no tamanho e no formato atual) não é um evento que dá para se curtir em um único dia (seria batuta em um futuro próximo acharem uma solução para isto, quem sabe aumentando o número de dias para ter mais tempo e espaço para patrocinadores e, com mais dias, diluir parte dos gastos possibilitando um ingresso mais barato);
  • A questão das filas e da demora para se entrar foi algo que precisa ser melhorado e aprimorado (teve quem falou -pelas redes sociais- em 4 horas e eu não duvido, muito embora eu ache que uma pessoa que tenha conseguido chegar na estação Jabaquara às 10h00 -de sexta até domingo-, esperou 30 a 40 minutos na fila pro ônibus -poderia ir a pé, ok-, mais uns 20 a 30 minutos no trânsito -eu já disse que poderia ir a pé, não é?- e mais 60 minutos para entrar se já estivesse com a credencial em mãos -do contrário podemos colocar mais uns 40/60 minutos- o que, daria por volta de 3 horas a menos de evento -4 horas acho que foi muito azar, embora possa ser possível-... Ah sim! Quanto mais tarde a pessoa chegasse, mais rápido ela chegaria e entraria, ok! Mas, quanto mais tarde, mais ela perderia, o que acaba dando QUASE na mesma...);
  • Sim, sim, dava pra ir a pé do metrô até o evento, mas aí entramos em um outro ponto... Caminhar usando um cosplay e (ou) carregando o cosplay na mala é muito chato, ficar numa fila, andando em zigue zague, um tempão, pelos cercados (aguardem o vídeo da minha entrada, para entender) também não é batuta... Por estas e muitas outras seria (muito) interessante os COSPLAYERS terem uma entrada própria e algumas regalias sim, afinal de contas são parte, são uma atração extra do evento, fica a observação para futuras edições (MAS AQUI VALE MUITO OBSERVAR que o espaço cosplay com camarim e tudo o mais estava muito supimpa, falarei a respeito ao longo dos textos);
  • É verdade que muitos dos problemas são gerados justamente pela enorme qualidade do evento é verdade que se o evento fosse ruim, não teriam filas, não teria demora, não tendo filas os cosplayers entrariam facilmente e, todos conseguiriam curtir o evento por inteiro... Tudo isto é verdade mas, como já ensinava o autor do Príncipe (aquele pequeno), Você é responsável por aqueles que cativa, então que fiquem registradas as ""críticas/toques acima""' antes de começar (mais) esta maratona (agora) de postagens...

Confissões e registros feitos, borandar!

Começo contando que cheguei na estação Jabaquara 11h21


Facilmente localizei os Staffs (que, tirando uns 3 ou 4 -de centenas- todos os demais merecem uma estrelinha dourada no boletim), sempre em boa quantidade e com uma camiseta que os destacava na multidão.


E verifiquei (em companhia de uma amiga querida e antiga colaboradora aqui do O.I., a Letícia "Aishiteru") que a fila para o ônibus estava enorme!!!

Aí resolvemos seguir andando (reparem que ela já estava com um -ótimo e detalhado- cosplay e carregava as armas do personagem)


Vejam melhor...

11h39 já conseguíamos ver o local do evento...


11h43 Já estávamos na parte de dentro do espaço onde ocorreria o evento e cada um seguiu a sua seta, a Letícia (com seu cosplay e suas armas) foi pegar a credencial dela (que ela não havia conseguido retirar antes) e eu fui atrás da minha entrada...


11h47, me localizei e comecei a andar para conseguir entrar logo e me posicionar para assistir a abertura oficial com homenagem para o Renato Aragão (de quem sou fã há décadas...)

O trajeto até a entrada de imprensa, era longo (bem localizado, baseados em linhas retas, cheio de staffs mas, LONGO) como vocês podem ver no vídeo abaixo...



11h58 eu chegava na porta para o mundo mágico e épico da CCXP 2016, mas... O sistema só iria começar a aceitar a liberação às 12h00 (horário de entrada normal do público) e, com um pequeno atraso (de segundos), foi o que aconteceu e 12h00m07 eu era o primeiro jornalista (de fora da organização) a entrar no evento...


Indo atrás de informações, agora para descobrir como entrar na abertura...

Fui mandado para uma porta (de onde tirei a foto abaixo)


Desta porta fui informado que a entrada seria do outro lado (ou seja teria que dar a volta em todo um ENORME labirinto de grades), fui, cheguei do outro lado (2 minutos depois), junto com (neste momento) mais uns 5 ou 7 coleguinhas e...


Tchan ran!! O garoto que lá estava e parecia ser "a voz dos staffs daquele setor" informou que a entrada de imprensa seria lá de onde viemos e que para entrar na porta onde eu estava, teria que ter uma letrinha "A" colada na minha credencial...


Aí cansei (sem desistir da pauta de ver/falar/registrar o Renato) e, seguindo as orientações do tal menino, lá fui eu atrás do tal decalque mágico...

Pelo caminho encontrei com o amigo e grande responsável pela minha presença neste lugar (foto abaixo...)


Nisso, relógio marcando 12h08, saí procurando o acesso ao mezanino, onde iniciei todo um processo de busca do tal decalque, e aproveitei para buscar me ambientar naquele espaço enorme, conhecer e reconhecer as pessoas que seriam importantes para esta cobertura, achar um mapa do lugar, um guia oficial do evento, me organizar para as atrações, achar a sala de imprensa (simples e funcional mas... Simples), aproveitei para começar a desenrolar o contato com o Renato Aragão, conhecer os dois auditórios (e acessos/entradas dos mesmos) do mezanino e...

14h59, voltei pro andar de baixo...


E como a primeira pauta (não tinha caído mas) estava capenga, parti direto pra organizar a segunda pauta, ou seja, me organizar para os painéis e coletivas (que começariam amanhã) com os Criadores e com o elenco de 3% (a primeira série brasileira a passar no Netflix). Para tanto, lá fui eu achar o estande da Netflix...


Onde registrei a ação que ocorria no espaço 3%


15h30 no relógio, e lá fui eu para o estande da Paramount, organizar minha presença na Coletiva com o Vin Diesel e a Nina Dobrev, que ocorreria às 17h00 (sim, para cada coletiva tinha que PERDER TEMPO de achar a assessoria de imprensa responsável pelos artistas para se obter liberação), cheguei no estande e fui informado que a assessoria já estava no espaço da coletiva, lá fui eu de volta pro mezanino (agora mais rápido, pois já conhecia o caminho)



E, 16h34 descubro que a coletiva fora cancelada (APARENTEMENTE pq alguém não gostou da acústica do auditório) e às 17h00 ocorreria uma sessão de fotos (só para quem estivesse com máquinas profissionais... ou seja a coletiva de IMPRENSA, virou uma... Ah! deixa pra lá! Melhor nem discutir com quem pensa que a boa ou má foto depende do equipamento ou do tamanho...).

Nisso, já meio cheio de tanta burocracia e sem nenhum interesse de ficar no "calor humano" para tirar a foto de alguém (estrangeiro ou não), acabei descobrindo que o Renato Aragão ainda estava pelo evento, então graças à assessoria de imprensa da Globo, à assessoria de Imprensa do evento (que me ajudaram) e ao próprio Renato (lógico), que concordou, fui levado ao camarim dele onde pudemos conversar (sem filmar - até seria possível mas para tanto seria necessário mais burocracia -essa eu até entendo e aceito, mas estava ali mais por um sonho de infância do que por qualquer outra razão-) e tirar fotos (a assessora da Globo que, NUMA BOA, concordou em tirar -as fotos-, sem frescura ou muita onda...)



Papos e risadas findas, 17h18 no relógio, e os coleguinhas já estavam se apertando na espera das celebridades



Que, se preparavam para...






Entrar, fazer algumas poses (por segundos) e sair... (sim, eu não furei ou desrespeitei nenhuma orientação, simplesmente a porta estava aberta -as celebridades passaram tão rápido que nem deu tempo de fechar- e a entrada não era proibida, proibido segundo uma assessora da Paramount era ficar perto, posicionado e apertado lá na frente...)





Pois (o mais simpático e feliz da dupla) tinha que dar uma entrevista (lá nas salas com acústica ruim, tsc tsc) que começou 17h35...



18h00 após papos e piadas com outros coleguinhas, estava indo de volta pra baixo, quando trombo com o simpático Mestre Tsutomu Nihei (Blame!, Knights of Sidonia...)



Já lá embaixo (18h48) recebido pelo grande Obelix...


Fui me ambientar no espaço dos artistas/roteiristas/desenhistas/quadrinistas, onde, dentre muitos outros, encontrei (os já conhecidos aqui do O.I.)

- Felipe Watanabe



- E o Ig Guara


E de lá segui (com uma ideia) pro estande da Netflix, pelo caminho, fui registrando alguns, sempre, queridos cosplayers...



Chegando no estande, tive algumas conversas, para por minha ideia em prática (não é a toa, com os profissionais lá existentes, que a Netflix tem crescido tanto), e consegui registrar um tour pela "ação 3%"





Tour finalizado, bato alguns papos com o povo do estande, vejo que a fila (aquela hora -19h45-) está pequena e, resolvo participar da experiência, mas, como sou muito competitivo e não gosto de perder, digamos que eu não segui muito as regras...



19h50 reconhecimento do espaço findo, prova "vencida", pauta praticamente concluída, pautas futuras já bem organizadas, saio pelo evento passeando criando/descobrindo novas pautas e registrando...

  • Cosplayers


































  • Detalhes da estrutura...



  •  Amigos e conhecidos


 
















 E algumas outras atrações (por onde, hoje, só passei) como...

A cabine abaixo (que torci para de repente se abrir e dela sair uma amiguinha cosplayer, fã da série, que esta estudando fora de São Paulo)




As armaduras "de ouro" que, até o evento acabar, ainda vou conseguir ver bem de perto...


E o trono de coelhos, onde ainda irei sentar hehehe



Tudo estava batutinha, mas o tempo passou (22h46) e, com amigos que por lá encontrei, comecei o trajeto de volta...




Com uma pequena pausa para aproveitar o estande vazio...


E, por fim, lá fora, fila pro ônibus já bem pequena (o dia acabou oficialmente 22h00), então foi entrar, sentar, seguir pro metrô, seguir pra casa, comer algo e dormir, pois amanhã tem (MUITO) mais!!!

Até breve!!

Observação final: Pode ter quem leia acima e ache que eu não aproveitei o evento ou não fiz/não consegui fazer, lá, uma grande cobertura... Para estes e estas, vale informar que eu estou vivendo esta experiência como alguém que terá (mais de) 44 horas para fazê-lo e, portanto, peço que não considerem as postagens, que serão feitas a partir de hoje, como algo individualizado, mas, sim, como parte de uma enorme cobertura única (dividida em partes -a de hoje foi mais um processo de ambientação e estudo do ambiente-), de um evento que me deixou maravilhado, teve problemas (e terá uma nota que está sendo produzida, o que o colocará no nosso ranking), ok, mas...
FOI ÉPICO!!


























Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário