A Cure for Wellness ("A Cura")

Coluna: Machadadas
Autor: Ribas Machado




Quarta feira, dia 15 de fevereiro de 2017, 10h30 da manhã, um dia antes da estreia oficial, lá fui eu, com um grupo grande de coleguinhas, tomar as primeira impressões do filme dirigido por Gore Verbinski.



 Estou falando do filme "A Cure for Wellness" (que, no Brasil, terá o nome de "A Cura")




Antes de "grandes comentários", vale dizer que este filme, estreou para o mundo em 10 de dezembro de 2016, durante o Festival de Filmes "Butt-Numb-A-Thon Film", foi feito em 5 meses (sim, vocês leram bem, 5 MESES!!!), tem como atores principais, Dane DeHaan, Jason Isaacs e Mia Goth (que está ótima no papel), foi dirigido por Gore Verbinski (que também o escreveu, junto com Justin Haythe) e mais detalhes técnicos podem ser vistos/pesquisados no IMDB.


Quanto à...


Sinopse Oficial (Fox) ela nos apresenta..
Um jovem e ambicioso executivo é enviado para buscar o CEO de sua empresa em um "centro de bem-estar" idílico, mas misterioso, em um local remoto nos Alpes suíços. Ele logo suspeita que os tratamentos milagrosos do spa não são o que parecem. Quando ele começa a desvendar os segredos aterrorizantes do lugar, sua sanidade é testada e ele é diagnosticado com a mesma curiosa doença que mantém todos os convidados ali à espera da cura. De Gore Verbinski, o visionário diretor de O Chamado, vem o novo thriller psicológico, A CURA.


E, passemos logo para as...

Minhas impressões e críticas:

Bom, pela primeira em anos, eu, após o filme acabar, fui ouvir (e quase participar de) uma roda de comentários com outros coleguinhas que também assistiram. Foi meio que sem querer, pois eu saí pela saída errada e, no que voltei para procurar a responsável pela minha experiência, para poder agradecer e me despedir, acabei encontrando o grupo e parando para ouvir.

Todos estavam, como eu estava, incomodados e em processo de digestão do que haviam acabado de presenciar por 146 minutos (eu já tinha percebido esta sensação conforme fui saindo e ouvindo os que vinham atrás de mim...)

A maioria entendia de forma ainda balbuciante que o filme poderia ter acabado 30/40 min antes (eu não discordo disto), parte (menor) do grupo buscava criar justificativas e entendimentos muito intelectualizados e (ou) alucinados sobre o final (eu não suporto este tipo de coisa que finais muito abertos geram na minha raça de críticos que, diante disto ficam se esforçando/pirando em busca de um final fechado que nunca houve ou haverá... Geralmente este tipo de filme vira cult, não pela qualidade real, mas pelos finais pirados/criados "pelos meus").
Eu, confesso que, quando o filme acabou, pensei, MAS QUE ME... Tanto que fui o primeiro a deixar a sala (e até saí pelo lugar errado, de tanto incomodo...). Mas, ouvindo a roda, voltando pra casa, no trânsito (a cidade estava parada hoje de tarde), e pensando no filme (com a música tema grudada na minha cabeça), cheguei a algumas conclusões, bom...
  • O diretor de fotografia, Bojan Bazelli, é magnífico!! 
  • Os 100 primeiros do filme são maravilhosos, incômodos, perturbadores... 
  • TODO o filme te prende na cadeira (mas o final de chuta dela -cadeira- sem perdão); 
  • Vale a pena assistir e conhecer este filme que, aposto, será cultuado e terá grupos e mais grupos de discussão onde pessoas irão pirar por décadas e acabarão "criando" 50 filmes totalmente diferentes do original (na roda de coleguinhas, eu já ouvi 3 versões...) e totalmente diferentes da realidade; 
  • Eu não discordo que o filme poderia ter acabado 40 minutos antes quando, então, teria um final sem graça mas, também, sem grandes problemas de continuidade. Porém se eu tivesse poder de escolha eu gastaria mais 5 meses (mesmo tempo utilizado para fazer TODO o filme) pensando no roteiro e, a partir do 100º minuto eu criaria (se tivesse capacidade para tanto tsc tsc) um outro final mais pé no chão e (muito) menos fantasioso, infantilizado, surreal, ridículo, cheio de buracos e pontas soltas...
De mais a mais é isso...

Assistam até para ver como não acabar um ótimo filme e (ou) para já começarem a ter ideias e entendimentos de "o que o filme quis dizer e mostrar" e, com isto, poderem se tornar o troll alfa no futuro grupinho de discussão...

Até a próxima!







Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

0 comentários:

Postar um comentário