AnimEmbu 2017

Texto e imagens: Ribas Machado
Agradecimentos: MOS Toyota

(Não estranhem esta capa, ela tem uma razão de ser que aparecerá lá no fim...)


1 ano e 4 meses atrás ocorria o Animenbu 2016 e, na época, eu saia de Sampa às 08h34 e lá chegava as 09h34.

(2016)

Pois bem, hoje aconteceu uma nova edição deste evento e...

8h56 eu já estava chegando no ponto


09h23 eu já estava chegando no 2º ponto (pra pegar o intermunicipal)


9h42 eu já estava no intermunicipal


Que me deixaria as 10h25, na porta do evento!!


Pois bem, como vocês puderam ver (pois eu faço questão de mostrar) ano passado levei uma hora, porta a porta e esse ano (em que Murphy não estava de bem comigo - pois nas duas chegadas, eu vi os ônibus que precisava pegar, partindo e, portanto, precisei esperar, EM UM DOMINGO, o próximo carro-) eu (na prática) cheguei até mais rápido (reparem os 19 min que esperei o inter e podem colocar mais uns 20 min esperando o 1º ônibus).

Pq estou começando assim!??

Fácil! 

Para destruir a ideia de quem ficou em casa (reclamando da vida) pq o "evento era MUITO longe"! Para destruir a ideia de gente que se acovardou, que se rendeu e deixou de se divertir em um evento, gratuito, bem mais fácil (e rápido) de chegar do que muito evento grande e (MUITO) pago, muitas vezes ( proporcionalmente falando), até pior... Para TENTAR quebrar essa covardia, essa preguiça essas bobagens que colocam boas pessoas em círculos viciosos derrotistas e, mais, (no caso, QUASE mas, algumas vezes, realmente) atrapalham propostas batutas de eventos pequenos e médios, feitos de fã para fã, onde a ausência (justamente) dos fãs pesa muito mais do que qualquer defeito (porventura existente) E FAZ COM QUE O EVENTO NÃO TENHA UMA NOVA EDIÇÃO, aí os mesmos, que não foram, ficam soltando ao vento que não tem oportunidades, que os eventos não pensam neles, que é tudo muito caro e bla bla bla...

Dito, e mostrado, isto, passemos para "o que" e "quem" realmente importa, ou seja, a edição de 2017 e as pessoas que saíram de casa para ela prestigiar....

Já de cara, um "MEA CULPA cabotino" pois, novamente (e isto muito emocionou, pois adoro interagir e dar algo para este mundo que tanto gosto e, de certa forma, me foi tão importante nos últimos anos), por ter sido convidado a, e, lógico (pois este evento não tem nada de ruim que pudesse me fazer evitar vincular minha imagem a ele) ter aceito, fazer parte do corpo de jurados, acabei tendo dificuldades para conseguir fazer uma cobertura como o evento merece!

(2016)

(2017)

Mas, aproveitando esta ideia trabalhada (de comparações) devo dizer que nesta edição pude constatar melhoras muito batutas, pontos que se mantiveram iguais, e alguma pioras (a maior, sem culpa do evento)...

Vale citar:

- O FORMATO que, em ambas as edições, seguiu o estilo "feira de ciências" (que AINDA dá certo, pois o povo está acostumado, treinado, adestrado e tal e coisa, MAS que já tá com o prazo de validade vencido...), espalhando pelos corredores e andares (este ano podemos adicionar "prédios", pois a organização conseguiu ocupar um prédio a mais do que no ano passado) diversos...

  • ESTANDES clássicos (até pq, sempre dão certo, como por exemplo):


(2017 - 2016)

  • ESTANDES novos (vários) como por exemplo a moçada da FUNKO Mania (que eu já havia conhecido lá na cobertura do Bazar Alternativo e) com quem, se tudo der certo e caminhar, faremos uma parceria/evento/ação bem batuta que trará algo muito SUPIMPA PRA VOCÊS...(AGUARDEM!! E vejam o vídeo abaixo que traz algumas dicas do que virá...)



 E bem variadas...
  • SALAS TEMÁTICAS, muitas iguais (pq deram certo), e algumas (que também haviam dado certo ano passado) modificadas (sem perder a qualidade e a alegria)

(2017 - 2016)


Não podemos deixa de citar...


- A grande (proporcionalmente falando) PRESENÇA DE COSPLAYERS




Que vinham chegando de todos os lugares...




E, por falar em quantidade e em "chegando", vale citar que 12h40 (evento abriu por volta das 11h00, sim, teve um atraso, mas estava marcado para abrir as 10h0) a entrada ainda estava assim:



O que comprova um crescimento na busca pelo evento e na presença de público, público este que permitiu com que eu tivesse/fizesse vários registros/encontros batutas:























 






E pudesse, curiosamente, verificar/registrar a presença de MUITAS figurinhas da edição passada, o que demonstra a criação de vínculos interessantes entre as edições (coluna da esquerda = 2017 e coluna da direita = 2016):







  • E, onde tem muitos cosplayers, tem CONCURSOS (desfile e apresentação) batutas com prêmios idem (Enorme maioria das imagens gentilmente cedidas pelo amigo MOS TOYOTA)


























































































Fim dos desfiles, início da parte para "intrometidos" falarem algumas palavras...



Últimos detalhes acertados e...


Início das apresentações...























Pausa para contar que...
  • Sim, nesta edição foi feito um palco externo, pois o auditório "INFELIZMENTE" (aspas pois a mudança tornou os concursos mais humanos e intimistas) estava interditado;
  • Sim, as apresentações foram montadas quase que na hora, no melhor estilo "fã para fã", sem stress, sem muita onda, no improviso mesmo (provando o amor e o conhecimentos dos cosplayers envolvidos, com seus personagens e historias) mas... Com muita paixão e, principalmente, DIVERSÃO!!
  • Não, não tivemos as plaquinhas mas, em compensação, tivemos como novidade, a escolha de duas pessoas da plateia para "auditar/acompanhar" a apuração das notas (eu achei isto bem batuta, afinal que não tem nada a temer, não teme mostrar nada...) o que foi muito bom, pois ajudaram em alguns desempates real e totalmente empatados!!


  • Ainda com relação ao PALCO, vale contar que ele (tremia um pouco, mas...) resistiu bravamente a tudo que por lá aconteceu, como os concursos já citados e...




  • O SHOW (caixa alta pois eles merecem) da Banda CARAPUÇA (que novamente marcou presença neste evento)




O que mais, o que mais???

Ah sim!! Dentre outros presentes batutas (o convite pro júri foi um deles) que, nesta edição, inesperadamente recebi e (assumo) adorei (embora vale registrar que, com minhas coberturas, não busco isto,  ao contrário de alguns que vivem de ACHACAR -falarei a respeito mais abaixo, nas observações ruins- MAS, QUANDO INESPERADAMENTE ACONTECE, eu adoro sim!!!!), vale citar um desenho que me fora feito de improviso (e vocês sabem que eu amo toda arte que é feita na hora) e me emocionou (seja pelo desenho em si, seja pela capacidade DA desenhista).




E, bom, eu até gostaria de terminar com o presente acima que, por acaso, está dando tchau...

Mas, tenho que (senão não seria eu) fazer algumas observações finais, quais sejam:

  • Em 2016, eu acabei/fechei  a cobertura, iniciando o último parágrafo (hehehe acho que vão precisar de um mapa para não se perder no que escrevi) com: "evento ainda pode (e tem a obrigação até de), melhorar muito nas próximas edições". É verdade que vários pontos melhoraram (a parte da comida principalmente!), mas, até por isto, por ver a vontade de melhorar, tenho que dizer que agora já é necessário um aprimoramento, um trabalho mais sutil e profissional de melhor previsão do que pode dar errado e melhor organização do trabalho de solução e contenção de problemas... Foi como disse na edição passada, "grandes poderes, grandes responsabilidades" e, como, agora, eles melhoraram bastante e avançaram alguns níveis, esta na hora de novas cobranças e, tal melhora já permite e até chama novas expectativas... 
  •  Aquela conferência (ou feitura) de cadastro (próprio ou terceirizado) na entrada atrasa/incomoda/prende muito e não traz ganhos tão significativos que façam com que ela deva ser mantida (só acho);
  • Foi uma pena que, mesmo com a maior quantidade de presença, algumas pessoas queridas (da edição passada) não tenham aparecido e, outras tantas, ainda fiquem reticentes de ir para "um lugar tão distante", cada um que falta e (ou) não comparece deixa um buraquinho no evento, pois este tipo de evento batuta, neste formato gratuito específico, depende sim de cada um e de todos para ficar ainda melhor;
  • Vergonha alheia de atrações que faltam (ano passado também ocorreu)! Lógico que uma ou outra deve ter tido boas razões mas, pelo que soube, teve caso que nem se dignou a avisar... Pena e, repito, vergonha alheia!
  •  Por FIM, quero fechar com algo subliminarmente ligado à capa desta cobertura que (alguns podem ter estranhado mas), agora, peço para prestar atenção na imagem escolhida, e verificar minha mensagem/sinal para péssimos "profissionais" que, "em nome de instituições" (ou, no caso, USANDO O NOME de instituições sérias), aparecem em eventos para "tirar algum $$ de trouxas". É UMA VERGONHA, eu diria mais, TENHO NOJO de ver "fiscais medíocres" (devidamente diferenciados, pois existem fiscais sérios) que, nos dias de hoje, ainda tentam manter viva a cultura podre e criminosa de achacar os outros! Não, como o destino quis que os organizadores tivessem assessoria jurídica emergencial e não caíssem no golpe do VAGABUNDO, eu não irei mostrá-lo ou esticar este assunto, mas... Eu não esqueço rostos e se com ele trombar de novo, tentando aplicar o mesmo golpe, a situação será bem diferente... FICA A DICA!

De resto, mesmo fechando de forma incomoda (para dar o destaque necessário e, ao mesmo tempo, linkar com o início) só me resta dizer...

ATÉ A PRÓXIMA, e a todas as demais edições!!!










Share on Google Plus

About Videoteca do Olhar Imparcial

1 comentários: